“Elas estavam de passagem e já deixaram o local”, afirma coordenadora de ONG sobre presença de abelhas no centro de Juazeiro

(Foto arquivo)

As abelhas que foram vistas nesta quarta-feira (16) no centro de Juazeiro, no Norte da Bahia, já deixaram o local, de acordo com a coordenadora da ONG Abelha Viva, Lícia Regina Lopes da Silva, que esteve há pouco onde o enxame se encontrava.

O resgate estava programado para acontecer no período noturno, quando as abelhas se “arrancham”, ou seja, se acomodam.

Lícia Regina informou ao PNB que as abelhas estavam “apenas de passagem”.

A coordenadora da ONG Abelha Viva disse ainda que esteve também na Avenida Flaviano Guimarães, após receber informação de que abelhas foram vistas em um pé de Jambo. Porém, o enxame também já tinha ido embora.

(Foto arquivo)

“Elas estão migrando para a área urbana por conta da exameação, um ciclo natural da abelha  que se dá quando as colmeias se dividem, e é escolhida uma nova abelha rainha e a abelha rainha velha migra com parte das operárias em busca de local seguro. Quando elas chegam, elas procuram proteger a rainha e descansam. As vezes elas descansam por 24 horas e até 72 horas. Mas desta vez, elas foram para um lugar mais seguro, que tenha água e alimento. Nossa preocupação com o enxame que estavam na Flaviano Guimarães era com os pés de Nim, onde elas fazem colmeias, mas não se alimentam da flor do Nim, que é venenosa”, relatou Lícia Regina.

Segundo Lícia Regina, neste ano houve um aumento considerável na aparição de abelhas na região.

“A exameação acontece no período da primavera e do verão, mas neste ano a situação está atípica. Nós nunca presenciamos essa situação aqui em Juazeiro. E os apicultores de Petrolina relatam o mesmo. Por isso, estamos estranhando a quantidade de enxames que está aparecendo na região. O Centro Integrado de Comunicação das Polícias Militar e Civil e Corpo de Bombeiros, está recebendo de cinco a oito chamados por dia”, informou.

A coordenadora orientou ainda que ao localizar um enxame, as pessoas não devem se aproximar e nem fazer barulho. É importante sair em silêncio e ligar imediatamente para 193.

“Também não se deve jogar objetos nas abelhas. Se você tiver suado, usando perfume, protetor solar ou hidratante, não passe perto do enxame, pois as abelhas se irritam com o cheiro e podem atacar você. Não coloque fogo ou fumaça no enxame; Para manipular um enxame é necessário a proteção de máscara, luvas, macacão, botas e fumegador, o apicultor é a pessoa ideal para retirar o enxame; Em caso de picada, retire o ferrão imediatamente, lave com água fria e sabão, faça compressa com gelo. Pessoas alérgicas devem ir a UPA imediatamente”.

 

Da Redação

1 comentário

  • Norma Suely Lopes da Silva Coelho disse:

    Informações relevantes, quanto ao comportamento das abelhas como também, orientações referentes as medidas de proteção.
    É oportuno destacar o trabalho desenvolvido pela ONG Abelha Viva, contribuindo com o resgate de abelhas, em área urbana, agente polinizador importante para a produção agrícola, e propagação de espécies do bioma caatinga quando promove a polinização, no ciclo a frutificação e disseminação natural das sementes por outros agentes, como o vento e outros animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.