Denúncia aponta que Wassef foi chamado para esquema por “ter talento para lidar com a polícia”

 

O Ministério Público Federal apresentou, nesta sexta-feira (25), denúncia contra o advogado Frederick Wassef e outras quatro pessoas, acusados de desvio de recurso público e lavagem de dinheiro. Segundo os procuradores, o grupo teria desviado ao menos R$ 4,6 milhões das estruturas do SESC, Senac e da Fecomércio do Rio de Janeiro.

A denúncia aponta para uma atuação de Wassef, que extrapola o figurino do lobby advocatício. Em um trecho, um dos depoentes afirma que Orlando Diniz, o ex-presidente da Fecomércio do Rio e cabeça da operação, tinha a real intenção de firmar contratos com o escritório que repassava serviços a Wasseff, para criminalizar as condutas da ex-mulher, Daniele Paraíso, e influenciar, por exemplo, a disputa pela guarda da filha do casal.

Segundo essa testemunha, Diniz contratou Wassef para defendê-lo em processos contra a ex-esposa e outras pessoas que o ex-presidente da Fecomércio-RJ “imaginava estarem conspirando contra ele”.

 

Bocão News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.