Estudo da Univasf busca participação de casais do Nordeste que estejam na primeira gestação

Casais que estejam vivenciando a primeira gestação são o foco do estudo de uma mestranda do Programa de Pós-Graduação em Psicologia (PPGPSI) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). A pesquisa é intitulada “Tons da Parentalidade: A experiência de mães e pais em diferentes momentos da maternidade e paternidade” e tem o objetivo de compreender aspectos sobre o tornar-se mãe e pai, a influência da relação conjugal no exercício da parentalidade e a relação estabelecida com o filho durante a gestação e os três primeiros meses de vida do bebê.

A pesquisa busca a participação de voluntários de toda a região Nordeste e será realizada online. Para participar, basta se inscrever por meio de preenchimento de um formulário online e aceitar o Termo de Consentimento Livre Esclarecido (TCLE) nele disponível. O estudo é da mestranda Gisele Cerqueira, com orientação da docente do PPGPSI Lucivanda Cavalcante.

Poderão participar casais que estejam experienciando a primeira gestação, no terceiro trimestre gestacional (entre o 7º e o 9º mês da gravidez); possuam a idade mínima de 18 anos e máxima de 35 anos; tenham uma relação conjugal estável; sejam brasileiros residindo em qualquer cidade do Nordeste; não estejam enfrentando nenhuma intercorrência gestacional que configure a gestação como de alto risco, como diabetes gestacional, síndromes hipertensivas da gravidez, pré-eclâmpsia, síndromes hemorrágicas, gravidez ectópica, rotura uterina, entre outros fatores.

A pesquisa ocorrerá no formato online e será constituída por três etapas: aceite do Termo de Consentimento Livre Esclarecido e resposta a questionário sociodemográfico, entrevista via videoconferência, a partir de um link a ser enviado por e-mail pela pesquisadora, durante a vivência do terceiro trimestre gestacional; e entrevista online quando o bebê completar três meses de idade. As entrevistas serão realizadas individualmente.

Este estudo poderá contribuir para a obtenção de maiores compreensões por parte dos profissionais de psicologia sobre o período de início da primeira experiência de parentalidade, aspecto que, segundo a pesquisadora Gisele Cerqueira, é pouco estudado pela área. A mestranda destaca a complexidade que envolve a vivência da maternidade e da paternidade e afirma que a pesquisa visa auxiliar psicólogos e outros profissionais de saúde que trabalham na Atenção Básica a lidar melhor com situações que envolvam questões relacionadas à parentalidade, além de estimular estudantes a desenvolverem novos estudos sobre o tema.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.