Bar na Praça São Thiago Maior, orla I de Juazeiro, aglomera “e a polícia de Rui Costa assiste sem tomar nenhuma providência”

 

Um bar, em Juazeiro, situado na orla I de Juazeiro, bem no centro da cidade, tem chamado atenção por promover aglomeração de pessoas, principalmente nos finais de semana, em total desrespeito as medidas de segurança contra o novo coronavírus.

O Bar Tequila, frequentado na sua maioria pelo público jovem, ocupa o espaço público da Praça São Thiago Maior, e dispõe mesas ao ar livre, juntando grande número de pessoas.

Um leitor do PNB, que pediu para não ser identificado, questiona as autoridades responsáveis pela fiscalização, que “fazem vistas grossas” para a situação escancarada do estabelecimento em plena pandemia, já na sua segunda onda.

“Este bar fica no centro da cidade, debaixo dos olhos da Polícia, da Guarda Municipal e dos fiscais da prefeitura, que deixam as aglomerações rolarem soltas”, reclamou o cidadão juazeirense.

E ele tem razão. Na última sexta-feira (11), o PNB, esteve no local e constatou uma viatura da Polícia Militar parada em frente ao bar, sem intervir na cena flagrante de aglomeração e contrariando a ordem do Governador Rui Costa que incumbiu a PM de fiscalizar e punir quem desrespeitasse o último Decreto Estadual com medidas restritivas.

Situação que também foi testemunhada pelo leitor.

“Na sexta-feira, tanto a PM, quanto a Guarda Municipal estavam com suas viaturas paradas em frente ao bar, como se estivessem trabalhando para a segurança do estabelecimento, como se nada tivesse acontecendo. As cadeiras coladas, mesas juntas, oito a dez pessoas numa mesa só, devido a falta de espaço para tanta gente. Um absurdo! A gente olha e dá até medo, porque fica claro o risco de contaminação ali naquele lugar”, denunciou.

Um músico de Juazeiro, que também não será identificado, questionou o Decreto Estadual que proibiu shows ao vivo nas cidades baianas, com a justificativa de que estas apresentações promoviam aglomerações.

“O governador proibiu os artistas de trabalharem, mas as aglomerações estão acontecendo do mesmo jeito. Nós artistas vamos passar o natal no prejuízo, com sérias dificuldades financeiras, muitos sem poder comprar nem um presente para um filho, mas os donos de bares aglomeram e a polícia de Rui Costa assiste sem tomar nenhuma providência. Não é o músico que promove aglomeração, é o dono do bar. Este decreto não tem lógica. Isso é revoltante!”, concluiu o músico.

O PNB enviou um pedido de resposta ao Comando da Polícia Militar, em Juazeiro, e também a Guarda Municipal.

Da Redação    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.