Ex de Jairinho diz que vereador agredia e torturava ela e o filho

0

 

 

A ex-namorada e amante de Dr. Jairinho, Débora Mello Saraiva, de 34 anos, mudou sua versão dada em depoimento sobre relação com o vereador e revelou que foi agredida fisicamente e seu filho torturado por ele.

Em entrevista concedida à Record nesta quinta-feira (15), Débora afirmou não ter contado a verdade para a polícia, em depoimento prestado no dia 22 de março, para se “proteger”. Ela será novamente ouvida na 16ª Delegacia, no Rio de Janeiro (RJ), no âmbito do inquérito que investiga a morte do enteado de Dr. Jairinho, Henry Borel, de 4 anos, e pelo qual ele e a mãe da criança, Monique Medeiros, estão presos.

“Eu não disse que era agredida [no depoimento], preferi não dizer para me proteger. Apesar disso, estou aliviada por ter falado, eu sei que posso contribuir dizendo isso. Mas continuo com medo, não sei o que ele pode fazer. Ele é influente. Eu não aguentava mais segurar isso, todo mundo falando, me procurando. Fiquei pensando: daqui a pouco vão falar que eu fui omissa, como estão falando da Monique. Eu nunca deixei de proteger meus filhos”, contou ela, na entrevista.

Anteriormente, a versão de Débora era de que eles tinham “algumas brigas, mas só com xingamentos, nunca teve nenhum tipo de agressão física”. Agora, ela confessa que foi agredida “várias vezes” ao longo dos anos em que ela e Jairinho ficaram juntos.

“Uma vez, quando ele viu que eu tinha mexido no celular dele, falou que ia sumir comigo e jogar a bolsa em algum lugar para dizer que tinha sido um assalto. Ele já veio no meu pescoço e ficou em cima de mim. Ou eu brigava com ele, porque não tinha força, ou tentava falar. Eu falava que não conseguia respirar. Do nada, ele mudou a cara e falou: ‘vamos dormir’”, relatou Débora.

A ex-namorada do vereador também alega já ter recebido chutes e ter seu dedo do pé quebrado ao meio. “Ele tinha que olhar meu celular sempre. Em outra ocasião, ele ficou com raiva e me deu um mata-leão. Eu tentava fugir, ele me puxava pelo pescoço. Eu caí pelo canteiro, ele foi me arrastando e me deu três mordidas na cabeça muito forte. No dia seguinte ele agiu como se nada tivesse acontecido”, relembrou.

Débora ainda disse que seus filhos também foram vítimas do vereador. “O Enzo me contou esses dias que uma vez ele estava no apartamento e ele e a irmã, Clara, acordaram para beber água. Jairinho estava de pé e pegou água para os dois. Ele deu um para a Clara e falou: ‘Vai dormir que eu vou cuidar dele’. A Clara ainda insistiu para que o irmão fosse com ela, mas Jairinho insistiu que ela voltasse para a cama. Enzo conta que ele o colocou deitado no sofá, pôs papel e um pano na boca dele e falou que ele não podia engolir o papel. Ele ficou em pé no sofá e pisou na barriga dele com todo o peso dele. Aí eu falei: ‘mas ele tirou o pé?’ Ele falou que sim, depois de pisar com força.”

Débora teria começado a namorar com o vereador quando assessorava outra edil e pediu afastamento do cargo. Segundo ela, eles ficaram seis anos juntos, entre idas e vindas, já que na época Jairinho era casado com a dentista Ana Carolina Ferreira Netto, mãe de dois dos três filhos do médico. Os dois terminaram em outubro de 2020, quando ele começou a se relacionar com Monique.

BN

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome