“Cachorro na rua tem é que matar”, vereador defende morte de animais de rua

1

 

O vereador Eli Corrêa, do município de João Pinheiro (MG) decidiu defender a morte de animais de rua para se posicionar contra um projeto de lei que visa conscientizar crianças sobre maus-tratos contra os bichos.

O vereador chegou a afirmar, durante reunião ordinária da Câmara Municipal, realizada nesta segunda-feira (19), que “cachorro na rua tem é que matar”.

Corrêa alegou que já viu três pessoas morrerem por leishmaniose, doença infecciosa que se hospeda em cães. Para o vereador, todo cachorro de rua está contaminado.

“Na Ruralminas eu vi três pessoas morrerem por problema de leishmaniose de cachorro e gato. Lá em casa tem dois e eu não tive coragem de matar, mas já arranjei um para matar”, contou o vereador.

Defendendo o uso da carrocinha, ele afirmou que: “cachorro na rua tem é que matar, cachorro em rua do jeito que vemos por toda banda, com problema e doença, amontoado, trazendo doença para população. Quando tinha uma carrocinha de cata cachorro, doente morrendo, só ficava aquele que tinha certeza que era saudável, o resto morria tudo.”

O Instituto Marcell Moraes compartilhou o vídeo com o posicionamento do vereador mineiro e criticou a fala do edil.

“Nojento, estúpido! Sem palavras para descrever, apenas ouçam e me digam a opinião de vocês. Lamentável existir esse tipo de vereador, um representante do povo com um posicionamento desse”, escreveu a ONG.

Confira vídeo:

https://www.instagram.com/p/CN5jCnOgkYA/?utm_source=ig_embed&utm_campaign=embed_video_watch_again

Da Redação, com informações BN

1 COMENTÁRIO

  1. Covarde. Ao inves de trabalhar em Algo relacionado a castraçao este canalha acha que eliminando é o certo a fazer. Lixos assim pensam assim. Vamos eliminar animais, moradores de rua. Ahhh podemos também eliminar politicos ladroes. Começaremos por eles. Os politicos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome