Escritora Dia Nobre lança “No útero não existe gravidade”

Em seu segundo livro, Dia Nobre desenterra as chagas íntimas e sociais das mulheres. “No útero não existe gravidade” é talhado por histórias de filhas, mães, avós, mulheres que conheceram o peso de ser mulher muito cedo, é sobre uma jornada de busca de si e construção de referências. A obra discute a relação entre mães e filhas, e a pressão social que existe sobre a mulher no que diz respeito à maternidade.

A obra é uma ficção híbrida que aborda o tema do abandono materno e seus reflexos na vida de uma criança/mulher que busca entender as razões da fuga da mãe, ao passo que lida com os traumas gerados pelo desamparo. O enredo trata dos traumas gerados pelo abandono e discute os efeitos desses traumas na saúde mental da personagem. É um livro sobre como as mulheres tentam caber dentro de si mesmas e vão se tornando cada vez menores para que sejam encaixáveis e não deixem à mostra os desejos, o ímpeto de vida, o impulso de morte.

Dia Nobre é escritora e professora adjunta do curso de história da Universidade de Pernambuco em Petrolina, desenvolvendo projetos ligados à literatura, história, lesbianidades e feminismo. Possui dois livros publicados na área da pesquisa histórica, “O teatro de Deus e Incêndios da Alma”, tendo recebido três prêmios por este último, incluindo o Prêmio Capes de Teses (2015). Seu primeiro livro de prosa poética, “Todos os meus humores”, foi publicado em junho de 2020 pela Editora Penalux.

O lançamento virtual do livro “No útero não existe gravidade” acontece no canal da Editora Penalux no Youtube na próxima quarta (26) às 19h, com mediação da booktuber Tamy Ghannam (graduada em Letras, crítica literária e pesquisadora de narrativas brasileiras contemporâneas).

 

Ascom

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.