Reestruturação da biblioteca da Associação das Mulheres Rendeiras de Petrolina acontece com apoio de projeto da Univasf

 

 

A Associação das Mulheres Rendeiras de Petrolina, localizada no bairro José e Maria, possui um pequeno acervo com livros didáticos e cartilhas educativas, destinado ao uso das associadas. Desde o mês de março, a biblioteca da entidade está passando por uma reestruturação com o objetivo de ampliar e melhorar a gestão do acervo bem como estender o acesso às obras a toda a comunidade do bairro onde está implantada.

O projeto de reorganização do espaço acontece com o apoio do Núcleo Temático (NT) Dinâmicas de Desenvolvimento do Semiárido Rendeiras + Univasf 2021, vinculado ao Colegiado de Administração (CADM), e do Sistema Integrado de Bibliotecas (Sibi) da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf).

A ideia de colaborar para a reestruturação da biblioteca surgiu como parte das atividades do NT, que é coordenado pela professora do CADM Alvany Santiago, e desenvolve atividades voltadas para as necessidades da entidade. Os integrantes do NT, composto por docentes e estudantes de graduação da Univasf, identificou a urgência da organização do espaço, que não funcionava dentro dos padrões de uma biblioteca. O NT e o Sibi realizaram reuniões com as mulheres rendeiras para o planejamento das atividades e para realizar um diagnóstico organizacional da unidade.

Além das orientações técnicas sobre a organização e gestão do acervo, o Sibi realizará a capacitação da equipe da Associação das Mulheres Rendeiras. Em agosto, será ofertado para os integrantes e colaboradores da Associação um minicurso, que irá orientar a equipe sobre as atividades necessárias à implantação e funcionamento da biblioteca. A capacitação será ministrada pelos bibliotecários da Univasf Ana Paula Lopes, Lucídio Lopes, Adriana Magalhães, Louise Dias e Jaqueline Souza. O minicurso, que será realizado de forma on-line, abordará conteúdos referentes às rotinas administrativas no âmbito das bibliotecas e unidades de informação, divididos em quatro módulos, tendo o conteúdo programático adaptado à realidade do projeto.

De acordo com a diretora do Sibi, Ana Paula Lopes, entre as ações também previstas destacam-se o levantamento das necessidades estruturais e de recursos humanos, a busca de possíveis fontes de recursos para o espaço, a implantação de um sistema de gerenciamento de biblioteca para atividades e serviços e o incentivo à realização de projetos culturais e literários no espaço. Com a organização do espaço, pretende-se realizar a informatização da biblioteca, para agilizar o serviço prestado e aumentar a eficiência na recuperação de informações. “A organização, além de propiciar um funcionamento adequado, trará a ampliação das atividades e irá servir de forma satisfatória às rendeiras que frequentam a Associação e a toda a comunidade do bairro José e Maria”, pontua.

Já a professora Alvany Santiago explica que a Associação tem atuação de 25 anos e desenvolve um trabalho de empoderamento da comunidade, focalizando nas questões de gênero e raça. “A organização da biblioteca avança nesse sentido e contribui para que mais pessoas tenham acesso ao acervo, como também se faz relevante por integrar a Universidade com a sociedade”, afirma.

Atualmente, o acervo conta com cerca de duas mil obras. Após a reestruturação e organização, pretende-se ampliar essa quantidade, com a inclusão de obras literárias regionais e legislações, obtidas principalmente por meio de doações provenientes de parcerias com instituições locais e nacionais, além de proporcionar acesso à informação, formar leitores e preservar a memória das rendeiras, ocasionando também a ampliação do funcionamento para a comunidade do José e Maria.

 

Ascom Univasf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.