“Não temos paz”: moradora da Simões Filho, em Juazeiro, reclama de barulho e algazarra na praça

"Não temos paz": moradora da Simões Filho, em Juazeiro, reclama de barulho e algazarra na praça

Uma moradora das imediações da Praça Simões Filho, Juazeiro, que pediu para não ter o nome publicado, entrou em contato com o Portal Preto No Branco para reclamar do descumprimento da Lei do Sossego Público e da falta de fiscalização pelos órgãos responsáveis.

“Gostaria de pedir seu apoio em cobrar mais uma vez dessa prefeita, bem como do setor de postura desse município, ação com relação aos bares e distribuidoras da cidade. Desde a quinta-feira e amanhã faz uma semana, que nós moradores da praça Simões filho e Rua 15 de novembro não temos paz com o abuso dos carros particulares e seus sons inconcebíveis de volume que extrapolam e agridem a paz e o sossego da população. Na área residem pessoas idosas em sua maioria. É um desrespeito absurdo”, desabafou.

Ela ainda denunciou o consumo de bebidas alcoólicas por adolescentes em uma distribuidora que fica na Simões Filho, e que segundo a moradora, utiliza o espaço público para colocação de mesas.

“Adolescentes bebem sem parar. Cadê os pais dessa sociedade? Não há uma atuação ou punição pra esse estabelecimento que se diz ser uma distribuidora e faz do espaço essa algazarra desrespeitosa!? Eles ocupam a rua com mesas de cadeiras, sem qualquer benefício pra cidade? Sujam a rua e nada é feito? A praça Simões Filho é uma vergonha pra cidade. Abandonada em tudo. Depósito de lixo e entulho e agora essa baderna sem dia e sem hora. Somos obrigados a nos trancar em casa para assistir uma televisão, conversar ou mesmo estudar”, disse a moradora que finalizou criticando a gestão municipal: “Que gestão é essa que nada faz em 9 meses de governo? Essa mãe entrou off e morta e vai sair assim porque é incompetente em toda sua história política. Juazeiro não merece. E nem nós moradores. Exigimos uma resposta. Essa cidade e esse país perderam seu respeito a tempos”, concluiu.

Estamos encaminhando a reclamação para a Semaurb.

Da Redação 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.