Especialistas comentam sobre suspensão da vacina em adolescentes

Especialistas comentam sobre suspensão da vacina em adolescentes

O Ministério da Saúde enviou uma nota técnica, nesta quinta-feira (16), recomendando a suspensão da vacinação para adolescentes sem comorbidades. Assim, a capital baiana restringe a vacinação, a partir de hoje, apenas a jovens entre 12 e 17 anos que apresentem deficiência permanente, comorbidades ou que estejam privados de liberdade. A suspeita é que a suspensão tenha sido recomendada após a morte de um adolescente em São Bernardo após a aplicação da 1ª dose da Pfizer.

Em entrevista para o Bnews, o virologista Gúbio Soares afirmou que as reações são comuns em qualquer imunizante utilizado para conter o avanço do Coronavírus e que efeitos colaterais já aconteceram no mundo inteiro.

“A reação adversa nessas vacinas atuais contra a doença Covid existe. Já existe morte fora do Brasil, na Nova Zelândia, na Itália, pessoas adultas que tiveram efeito adverso. Qualquer medicação nesse nível tão moderno, nessa plataforma tão moderna de RNA, vão causar efeito adverso”, contou o virologista.

Soares disse também que a suspensão imediata da aplicação dos imunizantes nos adolescentes neste momento é uma atitude correta. Para ele, é necessário fazer uma avaliação sobre a situação do jovem que morreu após receber a dose.

“A atitude de suspender a vacinação nesses indivíduos é para fazer uma avaliação, qual era a comorbidade que tinha essa criança, qual foi a vacina que deu. Tem que fazer uma avaliação, é o correto a fazer. Você não pode ter um fator adverso e não avaliar, seria um crime. O governo está certo em parar para fazer uma avaliação”, afirmou Soares.

“Isso acontece no mundo inteiro. Na Bélgica suspenderam a vacinação adulta quando teve um efeito adverso para se avaliar, então a atitude do governo é correta para saber qual é o fator que levou a esse efeito adverso”, completou.

Gúbio Soares alertou para os perigos de suspender definitivamente a vacinação para os adolescentes e afirmou que a compra de imunizantes de dose única seria uma das opções para diminuir as chances de reações adversas.

“Não deve suspender a vacinação. Isso é uma avaliação bem delicada que o governo terá que fazer. Suspender a vacinação é um risco grande para essas crianças também, porque elas estarão expostas à infecção pelo vírus. O ideal seria também a dose única, trazer as vacinas da Janssen, da Moderna, que é dose única e pronto”, pontuou o médico.

Bocão News

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.