Após manifestação dos motoristas da Joafra, Setranvasf alega desequilíbrio econômico-financeiro e diz que irá adotar medidas judiciais para evitar novas paralisações

Após manifestação dos motoristas da Joafra, Setranvasf alega desequilíbrio econômico-financeiro e diz que irá adotar medidas judiciais para evitar novas paralisações

Motoristas da empresa Joafra Transportes, iniciaram esta quinta-feira (21) com protesto na porta da empresa, que vem descumprindo direitos trabalhistas. Os trabalhadores alegam que estão há mais de 2 anos sem receber o ticket alimentação,  reajuste salarial e férias.

Após a manifestação, que foi encerrada por volta das 7 horas, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Vale do São Francisco se manifestou.

Em nota enviada ao PNB, o SETRANVASF alegou que a situação está sendo provocada por falta de “um acordo quanto ao dissídio coletivo do ano de 2022/2023”.

O Sindicato diz ainda que para os profissionais terem um reajuste salarial, é necessário que o poder público participe da solução, pois “o último reajuste tarifário foi em janeiro de 2018, sendo ainda que todos os insumos tiveram aumentos muito acima da inflação, e em especial o óleo diesel, que em janeiro de 2018 era de R$ 3,07 e hoje está em R$ 7,87”.

O Sindicato diz ainda que irá adotar medidas judiciais para evitar futuras paralisações.

Veja a nota na íntegra

“O SETRANVASF – Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo do Vale do São Francisco– vem informar à população que a breve paralisação ocorrida nos transportes coletivos na cidade de Juazeiro/BA se deu por conta de não termos chegado ainda a um acordo quanto ao dissídio coletivo do ano de 2022/2023.

Entendemos que os profissionais que atuam no transporte necessitam e merecem um reajuste salarial, mas para isto necessitamos que o poder público participe da solução, pois o último reajuste tarifário foi em janeiro de 2018, sendo ainda que todos os insumos tiveram aumentos muito acima da inflação, e em especial o óleo diesel, que em janeiro de 2018 era de R$ 3,07 e hoje está em R$ 7,87.

As empresas operadoras não conseguem absorver mais qualquer aumento de custo, sem a contrapartida financeira necessária, pois já estão em grave desequilíbrio econômico-financeiro.

O sindicato patronal não se recusa a dialogar para encontrarmos uma solução, pelo contrário, inclusive já foi solicitada junto ao órgão gestor uma reunião para tratarmos do assunto, sendo prontamente atendidos, ficando marcada para a próxima terça feira, devido à agenda do secretário.

Informamos ainda que medidas judiciais serão tomadas, para evitar futuras paralisações, com o intuito de não deixar os usuários desassistidos”.

A Companhia de Segurança Trânsito e Transporte de Juazeiro não se manifestou sobre a situação.

Redação PNB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.