Univasf tem projetos incluídos no Novo PAC do Governo Federal

0

Projetos de novas obras da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) foram incluídos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) das Universidades, anunciado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na última segunda-feira (10), durante encontro com reitores e reitoras de Universidades Federais, em Brasília (DF). Pela lista de obras divulgadas no site do Novo PAC, a Univasf receberá recursos para a construção de novos blocos acadêmicos nos Campi Salgueiro (PE) e Senhor do Bonfim (BA).

Para o reitor Telio Nobre Leite, o anúncio para investimentos em obras para as Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) através do PAC é muito importante porque representa uma retomada dos investimentos nas universidades para que possam restabelecer seus processos de consolidação. “À medida que forem sendo liberados os recursos anunciados irão possibilitar a execução das atividades acadêmicas e administrativas da Univasf de forma mais adequada, considerando o déficit em infraestrutura da instituição, especialmente nos campi localizados fora da sede”, afirma.

O Bloco de Laboratórios do Campus Senhor do Bonfim terá área de 4,9 mil metros quadrados e abrigará os laboratórios do curso de Ciências da Natureza, que ainda não foram implantados. Também irão funcionar no bloco, os laboratórios dos cursos de Geografia e Ecologia e do novo curso de Geologia. O prédio terá ainda outros espaços acadêmicos e administrativos, entre os quais os Colegiados Acadêmicos. Já o Bloco Acadêmico do Campus Salgueiro, com 7,3 mil metros quadrados de área, será implantado no terreno do campus definitivo. O bloco terá três pavimentos e será composto por praça coberta, salas de aula, laboratórios, Colegiados Acadêmicos dos cursos de Ciências da Computação e Engenharia de Produção, salas de apoio e áreas de estar, com jardins.

No início do novo Governo Federal, em março de 2023, a pedido da Secretaria de Ensino Superior (Sesu) do Ministério da Educação (MEC), a Univasf enviou a lista indicando um conjunto de 33 obras necessárias, de diversas naturezas e em todos os campi da instituição. Ao longo do ano passado, o MEC apresentou aos reitores, individualmente, os limites que cada um teria em relação a recursos, considerando o valor global dos investimentos que estavam sendo anunciados para o PAC das Universidades. Inicialmente, para a Univasf, seriam destinados cerca de R$ 70 milhões. À época, considerando as prioridades, foram indicadas as obras dos blocos acadêmicos em Salgueiro, Serra da Capivara e Senhor do Bonfim, e também Residências Estudantis. Já no início deste ano, foi anunciado que este valor teria de ser reduzido pela metade, passando a cerca de R$ 35 milhões, o que obrigou a exclusão das Residências Estudantis.

Embora indicado pela Univasf neste momento, o projeto para a obra do novo bloco do Campus Serra da Capivara, em São Raimundo Nonato (PI), acabou ficando de fora das novas obras do PAC das Universidades, divulgadas esta semana pelo governo. O reitor Telio Leite informa que está buscando mais informações a respeito das razões para esta exclusão e que trabalhará junto ao Governo Federal e Congresso Nacional para incluir esta terceira indicada na lista de obras que receberão recursos do programa de investimentos.

Ainda em relação ao Campus Serra da Capivara, ele também informa que a Univasf conseguiu aprovar R$ 3,8 milhões em recursos junto ao Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por meio de Termo de Execução Descentralizada (TED).  “Com esse recurso será construído o Bloco de Arqueologia e Preservação Patrimonial”, afirma. Com o objetivo de diminuir, de forma mais imediata, as dificuldades de infraestrutura no campus, está confirmada a instalação de estruturas modulares, no valor de R$ 342 mil, para alocação de laboratório para o Colegiado de Antropologia e duas salas de aula.

HU-Univasf – Além de obras anunciadas para as universidades, os Hospitais Universitários Federais também receberão recursos do PAC. Para o HU-Univasf, estão previstos R$ 20 milhões até 2026, dos quais R$ 6 milhões já estão disponíveis para aplicação. De acordo com o superintendente do Hospital Universitário, Julianeli Tolentino, os recursos já liberados serão muito importantes para a melhoria da infraestrutura do hospital.

Nessa primeira etapa será reformada e requalificada toda a infraestrutura do centro Cirúrgico e da Central de Material e Esterilização (CME) do hospital. “Essa é uma demanda antiga e visa garantir o processo contínuo de melhoria e uso dos espaços já tão limitados em face da altíssima demanda dos serviços do hospital”, afirma Tolentino. Com esses investimentos, espera-se também a melhoria significativa do ambiente destinado aos pacientes e profissionais de saúde. Ele enfatiza que outros recursos do PAC, à medida que forem sendo liberados, serão usados prioritariamente na melhoria da estrutura hospitalar e na atualização do parque tecnológico do HU-Univasf.

 

Ascom/Univasf

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome