Policiais Militares do Grupo Carcará são acusados de agredirem adolescente na Ilha do Fogo, em Juazeiro

 

Familiares de um jovem de 17 anos procuraram a redação do Portal Preto No Branco para denunciar uma agressão que o adolescentes teria sofrido no último domingo (12), na Ilha do Fogo, em Juazeiro-BA.

A mãe da vítima, que preferiu não ser identificada na reportagem, acusa policiais do grupamento “Carcará” de terem cometido a violência.

“Eles o mandaram baixar a cabeça e covardemente deram um soco e uma joelhada no rosto dele. Achando pouco o que tinham feito, ainda mandaram que ele, e mais quatro amigos, que também foram agredidos, saírem correndo e gritando “Carcará”, batendo os braços para parecer que estavam voando, e indo em direção das pessoas que estavam na parte mais movimentada da ilha, a parte da areia, expondo os meninos, constrangendo-os “, relatou a mãe do adolescente.

Ainda de acordo com a denúncia, as agressões foram realizada por três PM’s, ainda não identificados, e que teriam agido por um motivo fútil. “Esse episódio todo, aconteceu porquê meu filho e os outros meninos, gritaram: “Carcará”, quando viram o grupo dos policiais. Eles, então, foram até os garotos e mandaram que eles gritassem novamente, foi nesse momento que as agressões ocorreram. São uns despreparados, que sequer sabem lidar com adolescentes “, acrescentou a mãe do jovem .

A mulher disse ainda que já registrou uma queixa na delegacia e que o jovem já passou por um Exame de corpo de Delito. “Meu filho não iria nem me contar o que aconteceu. Ainda tentou esconder o rosto, e por medo de represálias nem queria ir à delegacia realizar o B.O. Eu o convenci da importância de fazer a denúncia, e nós fomos, mas o delegado só vai poder nos ouvir na próxima semana”, informou.

Ela finalizou declarando que agora espera que o caso seja investigado e que os policiais sejam identificados e punidos. “No momento das agressões meu filho não conseguiu gravar os nomes e nem a fisionomia dos policiais, mas acredito que é possível identifica-los, pois é praxe ter os policiais responsáveis pelas rondas em determinados horários e locais. Esses e outros miseráveis que agem assim, precisam ter a certeza de que os que eles costumeiramente fazem pode sim ser denunciado. Estes sim são meliantes fardados. Mesmo que meu filho tivesse feito coisa pior, essa jamais seria a conduta de qualquer policial. Eles precisam pagar de alguma maneira por esse ato”, finalizou.

Nossa equipe está enviando a denúncia para o Comando da Polícia Militar, em Juazeiro.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.