Em depoimento à polícia, homem se diz autor de vídeo com adolescente no Rio

Em depoimento à polícia, homem se diz autor de vídeo com adolescente no Rio

Com informações do G1

Em depoimento à Polícia Civil na noite de sexta-feira, 27, Raí de Souza, de 22 anos, admitiu ter filmado e divulgado na internet as imagens do estupro da adolescente no Rio de Janeiro. Ele compareceu à delegacia junto com Lucas Perdomo Duarte Santos, de 20 anos, jogador de futebol com quem a vítima teria saído na noite anterior ao ocorrido.

Segundo informações apuradas pelo portal G1, Raí afirmou ter tido relações sexuais com a menina, mas negou que tenha ocorrido estupro.

Em vídeo, o advogado do rapaz, Cláudio Lúcio, confirmou que ele admitiu ser o autor das imagens e falou que era um estupro apenas para “se vangloriar”.

Raí chegou na delegacia acenando para fotógrafos e cinegrafistas, ironizando a “fama” do amigo Lucas.

O advogado que representa Lucas, Eduardo Antunes, também negou que tenha ocorrido estupro. Questionado sobre a citação no vídeo divulgado com as imagens da vítima de que 30 homens teriam estuprado a jovem, ele disse se tratar de uma menção a um funk conhecido na comunidade onde o caso ocorreu.

A vítima, uma adolescente de 16 anos, também voltou a prestar depoimento na sexta-feira. Em entrevista ao jornal O Globo, ela afirma que dormiu na casa do namorado e acordou no local que aparece nas imagens, conhecido como “abatedouro” na comunidade do Morro do Barão, na Zona Oeste do Rio.

Ela fala das atrocidades cometidas pelos estupradores, que ela calcula foram 33 homens, e diz que o estigma é o que dói mais. “Me sinto um lixo”, afirmou.

Segundo o delegado responsável, Alessandro Thiers, mais três pessoas serão ouvidas na próxima semana para ajudar a polícia a esclarecer o caso. Ele afirmou que, por enquanto, só é possível afirmar o crime relacionado à divulgação das imagens com pena de até seis anos de prisão.

No entanto, para o chefe da Polícia Civil, Fernando Veloso, há “indícios veementes” de que houve estupro, mas a polícia ainda precisa confrontar o laudo com outros depoimentos que ainda serão ouvidos.

Entenda o caso

Em depoimento à polícia, ao qual a revista Veja teve acesso, a adolescente disse que no sábado, 21, foi até a casa de um rapaz com quem se relacionava há três anos. Ela disse que se lembra de estar na casa com ele e, depois, que acordou no domingo, em uma outra casa, na mesma comunidade, cercada por 33 homens armados com fuzis e pistolas. Ela estava dopada e nua.

Na terça-feira, 24, ela descobriu que imagens suas, sem roupas e desacordada, circulavam na internet. No mesmo dia, ela voltou à comunidade para procurar o seu celular, que fora roubado.

O vídeo que chocou a todos com imagens repugnantes da barbárie praticada contra a adolescente ganhou repercussão nas redes sociais na quarta-feira, 25.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.