Operação “Ponto Eletrônico” prende quadrilha que pretendia fraudar o concurso público da PM-PE

Operação "Ponto Eletrônico" prende quadrilha que pretendia fraudar o concurso público da PM-PE

concurso-1

A primeira etapa do concurso da Polícia Militar de Pernambuco, que aconteceu na manhã de ontem(29) em todo o estado, foi marcada pela prisão de uma quadrilha suspeita de tentativa de fraude. A Secretaria de Defesa Social, por meio da Polícia Civil desencadeou a Operação denominada “Ponto Eletrônico” que teve por objetivo de reprimir e prender em flagrante os integrantes da associação criminosa que pretendia fraudar as provas.

Segundo informações da Assessoria de Imprensa da Polícia Civil a quadrilha tentou agir em diversos locais de prova tanto na capital como no interior, e  se beneficiar, em detrimento dos demais candidatos, com a utilização ilegal de pontos eletrônicos para passar o gabarito da prova.

Ainda de acordo com informações da Polícia Civil, entre os criminosos, estavam professores de cursos preparatórios para a seleção. No total, 13 pessoas foram presas, durante a aplicação das provas, todos os presos em flagrante e o material apreendido foram encaminhados para o GOE – Grupo de Operações Especiais da Polícia Civil, utilizado como base da operação.

Os envolvidos no esquema criminoso entregaram pontos eletrônicos aos candidatos para que pouco antes do término do prazo dos testes objetivos os gabaritos com as respostas corretas fossem repassados. Para isso, utilizaram os professores na tentativa de fraude, que estava sob investigação da Polícia Civil há pouco mais de um mês. O Ministério Público de Pernambuco também está acompanhando o caso.

Os envolvidos no esquema criminoso entregaram pontos eletrônicos aos candidatos para que pouco antes do término do prazo dos testes objetivos os gabaritos com as respostas corretas fossem repassados. Para isso, utilizaram os professores na tentativa de fraude, que estava sob investigação da Polícia Civil há pouco mais de um mês. O Ministério Público de Pernambuco também está acompanhando o caso.

O líder da quadrilha foi preso no Recife. Além de ser responsável por montar todo o esquema, ele é quem iria repassar as respostas para os candidatos que pagaram para ter os gabaritos. O valor pago ainda não foi informado pela polícia. No total, 162 policiais militares e mais 50 civis participarão da operação “Ponto Eletrônico”.

As investigações tiveram início há pouco mais de um mês através da Delegacia de Polícia do Cordeiro, sob a presidência do delegado João Gustavo Godoy Ferraz, designado especialmente para o caso através da Chefia de Polícia Civil, com apoio da 2° DESEC (Delegacia Seccional) e a supervisão da DIM – Diretoria Integrada Metropolitana. Participaram da ação policial 50 policiais civis (entre delegados, agentes e escrivães) e 162 policiais militares.

Segundo informações de um fiscal que não quis se identificar, aqui em Petrolina, na sala onde ele trabalhou, na UPE, um candidato foi detido suspeito de fraude. (Foto: jc.ne10.com.br).

O concurso

Com mais de 121 mil inscritos, um recorde no Estado, as provas do concurso da PM foram aplicadas no Recife e Região Metropolitana e nos municípios de Caruaru, Garanhuns, Nazaré da Mata, Petrolina e Serra Talhada. Os aprovados na primeira etapa serão avaliados em aptidão física, psicológica, exames médicos e investigação da vida social.

No período de treinamento, após aprovação nas outras etapas, o aluno do Curso de Formação e Habilitação de Praças receberá Bolsa-Auxílio de Formação Profissional no valor de R$ 970,42. Após a nomeação, o soldado da PM receberá salário de R$ 2.319,88.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.