Trabalhadores Rurais reivindicam em audiência pública reforma agrária de assentamentos na região do Salitre

Trabalhadores Rurais reivindicam em audiência pública reforma agrária de assentamentos na região do Salitre

2

Uma audiência pública realizada na manhã desta terça-feira (14), no auditório da Câmara de Vereadores de Juazeiro debateu o descumprimento dos acordos firmados com representantes do Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra da região do Salitre, perímetros irrigados em Juazeiro e as cidades Curaçá, Casa nova e Sobradinho e o Governo Federal através da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco e de Parnaíba – CODEVASF. Os trabalhadores solicitam a regulamentação dos assentamentos e a garantia de manutenção do abastecimento de água responsável pela produção local.

O vereador Tiano Félix (PT), proponente da audiência e apoiador do movimento destacou a situação dos trabalhadores daquele local, “Os trabalhadores querem pagar a água que consomem e que irriga os lotes no local. Várias reuniões e acordos foram firmados para a regulamentação e nada foi cumprido”, alertou.

A audiência, ‘os desafios para a construção da reforma agrária popular’, apresentou a situação dos trabalhadores e suas famílias projeto Salitrinho, Adutorinha, Tourão 1 e 2 em Juazeiro, região norte da Bahia e todas as dificuldades enfrentadas pelos trabalhadores em outras regiões do país. Segundo o vereador são mais de 300 empregos diretos e indiretos gerados naquela área e mais de 2 mil pessoas envolvidas.

3

Estava presentes à audiência, os vereadores Amilton Ferreira (PSL) e Francinaldo Leopoldo do Carmo (PSB). O articulador político regional do MST, Jovanildo Jesus de Teixeira relatou a história do acampamento Vitoria, no salitre que há 15 anos tenta regularizar a situação. “As famílias estão lá vivendo em situação precária, a terra já foi desapropriada, decretada, feito todo o processo de emissão de posse, e retornou”, lamentou.

A representante do 6ª Superintendência da CODEVASF, Andrea Moureira Arraes afirmou que encaminha todas as reivindicações para os dirigentes responsáveis pelas diretrizes e aguarda decisão do governo. “Ontem reunidos com os representantes do movimento, enfatizamos que estamos aqui como interlocutores, para levar suas reivindicações”.

O secretário de agricultura, pecuária e abastecimento da Prefeitura de Juazeiro, Jorge Cerqueira destacou as ações do executivo em prol do movimento, “No período de 2001 a 2004 quando estava na Secretaria do Interior, organizamos uma e colocamos à disposição do MST. Ano passado promovemos o encontro regional para divulgar os produtos dos trabalhadores na Feira do alto da Maravilha”, colocou.

Ainda compondo a mesa, o gerente de credito fundiário da Coordenação de Desenvolvimento Agrário – CDA, Vinicius Vidreira, o representando o coordenador Ariosvaldo de Souza; representante do Levante Popular da Juventude, Vanessa Gonzaga; a presidente do Movimento do Atingidos por Barragens – MAB, Marta Rodrigues.

Na pauta de encaminhamentos um documento será elaborado com as reivindicações dos trabalhadores que será enviado não somente para a Codevasf mas para o Ministério do Desenvolvimento Agrário – MDA, e os órgãos que o compõe.

“Outra ação será uma ação judicial conjunta entre a Câmara de Vereadores de Curaçá e de Juazeiro que assegure algumas bases de negociações feitas com a Codevasf, Incra e órgãos competentes. Essa ação mais rápida vai assegurar a manutenção e bombeamento da água e funcionamento do perímetro”, finalizou. A audiência foi encerrada ao som do hino do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra.

Assessoria de Comunicação – Câmara de Vereadores de Juazeiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.