Julgamento de ex-comandante da PM acusado de corrupção é adiado para 2017

Julgamento de ex-comandante da PM acusado de corrupção é adiado para 2017

002

O julgamento do ex-comandante da Polícia Militar da Bahia, Antônio Jorge Ribeiro Santana, foi suspenso após votação na manhã desta quinta-feira (16), na Auditoria de Justiça Militar. Foram 4 votos a favor e 1 contra pelo adiamento do julgamento, que passa a ter início em 9 de março de 2017.

No entendimento do júri, os dados apresentados são insuficientes para embasar a denúncia. O caso. Outra alegação é de que seria necessário registro em cartório dos documentos que compõem a narrativa constante na peça de acusação. Os papéis foram digitalizados.

O caso

Coronel Santana foi preso em 2009 junto a outras 11 pessoas – entre elas três coronéis e um tenente da PM – por envolvimento em um esquema de superfaturamento na compra de 191 viaturas que seriam utilizadas pelas Rondas Especiais (Rondesp). O valor movimentado teria sido acima de R$ 32 milhões.

Na ocasião, o ex-comandante [2003 a 2008] foi preso em flagrante pelo Comando de Operações Especiais da Polícia Civil no momento em que recebia R$ 26 mil de Jaime Palaica Sica e William Laviola, então diretores da empresa Júlio Simões Transportes e Serviços Ltda. O lobista Gracílio Junqueira Santos, responsável pela intermediação, foi preso com R$ 21 mil em mãos.

Acusados de envolvimento

Coronel Jorge Santana: Ex-comandante da PM;
Coronel Sérgio Alberto Barbosa: Ex-comandante do Corpo de Bombeiros;
Coronel Jorge Silva Ramos: Diretor de Apoio Logístico da PM;
Tenente Antônio Durval Senna Junior;
André Thadeu Franco Bahia: Procurador;
Gracílio Junqueira Santos: Lobista;
William Laviola e Jaime Palaia Sica: Grupo Júlio Simões;
Aidano da Silva Portugal, Aline Cerqueira de Castro, Jocélia Fernandes Oliveira e Sidnei Couto de Jesus.

 FONTE: Varela Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.