MST desocupa Codevasf em Juazeiro e debaterá pauta com o presidente do INCRA em Salvador.

MST desocupa Codevasf em Juazeiro e debaterá pauta com o presidente do INCRA em Salvador.

Tiano 2
Em assembleia na noite dessa quarta-feira, 15 de junho, os trabalhares e trabalhadoras do Movimento Sem Terra (MST) decidiram desocupar a sede da 6º Superintendência Regional da Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco (CODEVASF), em Juazeiro – BA.
A decisão foi tomada baseada em entendimentos estabelecidos em reunião entre a Superintendente interina da Codevasf, Andrea Arraes, o Vereador Tiano Felix – PT e o Articulador Político do MST – Regional Norte, Jovanildo de Jesus, em que a ata de audiência pública realizada na Câmara Municipal de Juazeiro foi encaminhada para a Presidência da CODEVASF, em Brasília – DF e após a confirmação de um audiência entre o MST e o Presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA), Leonardo Góes, a acontecer nesta quinta-feira (16), em Salvador – BA.

A ocupação da CODEVASF em Juazeiro começou no ultimo domingo (13) e o ato teve resultados positivos na avaliação de Jovanildo de Jesus, Articulador Político do MST: “Após quatro dias, conseguimos reapresentar nossa pauta junto à CODEVASF e INCRA e ainda realizamos uma importante audiência na Câmara Municipal, o que nos fortaleceu e reforçou a importância da luta pela Reforma Agrária”. A audiência requerida pelo Vereador Tiano Felix, contou com a participação de vereadores de Juazeiro e Curaçá e elaborou um documento final que relata a situação de descaso do poder público com assentamentos e acampamentos, ligados ao MST, mas também do Projeto Pedra Branca, no Sistema Itaparica, nos municípios de Curaçá e Abaré, como explica Tiano: “Vamos encaminhar as denúncias do trabalhadores para o Ministério Público Federal, pois é importante forçarmos que o Estado Brasileiro tome providencias para com a situação de precariedades nessas áreas de reforma agrária, bem como solicitarmos a suspensão dos pedidos de reintegração de posse das áreas em conflito”.

Os trabalhadores tanto do MST, como do Projeto Pedra Branca, no Sistema Itaparica levantaram acampamento e irão aguardar o prosseguimento da pauta reinvindicatória e se não houver quaisquer avanços, poderão retomar ocupações por tempo indeterminado.

ASCOM MST

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.