“A festa deve ser do povo”: cidadão critica camarote particular em festa pública de aniversário de Juazeiro

(foto: reprodução/Instagram)

A cidade de Juazeiro, na região norte da Bahia, completa no próximo dia 15 de julho, 140 anos da elevação de Vila à categoria de cidade. Como parte da programação de comemoração da data, a Prefeitura Municipal vai promover, no sábado(14) e no domingo (15), shows musicais na Orla II da cidade. Entretanto, o anúncio de que uma empresa privada está vendendo ingressos para a área de camarote, vem revoltando alguns cidadãos, que acusam a gestão municipal de privatizar eventos públicos, assim como foi no Carnaval 2018.

Pedro Rafael, juazeirense e bacharel em Direito, entrou em contato com a redação do portal Preto no Branco para manifestar sua insatisfação em relação à instalação de uma área privada no espaço onde acontecerão os shows gratuitos no aniversário da cidade.

“Como cidadão de Juazeiro que paga imposto, como todos os moradores da nossa cidade, gostaria de saber da prefeitura qual o motivo de mais uma vez uma “festa pública”, paga com dinheiro público, ser privatizada através de camarotes, inclusive da mesma empresa, a Perna-Longa Entretenimento, que privatizou o Carnaval, se a festa é da prefeitura e é o aniversário da cidade? A festa deve ser do povo, que paga toda a estrutura”, disse o leitor.

De acordo com informações obtidas pelo PNB, o espaço da Orla será cercado  e a entrada acontecerá em pontos específicos. Além disso, fica proibida a entrada de pessoas portando bebidas, garrafas de vidros, copos de vidros, isopores, bolsas térmicas, caixas térmicas ou qualquer outra forma de armazenar e transportar bebidas, sejam elas alcoólicas ou não.

“Até quando vamos ser escravos desse sistema? Parece que Juazeiro não é mais do povo. Pertence a um grupo privado”, completou Rafael.

Nas redes sociais, cidadãos se manifestaram contra o camarote privado que será montado na festa pública.

“Juazeiro sempre arruma um jeito de ganhar dinheiro em tudo, até em uma festa pública, a não ser que não seja tão pública quanto parece”, disse uma internauta.

“É uma vergonha que nessas cidades (Juazeiro e Petrolina) todas festas existam esse apartheid ridículo”, disse outro.

“Mas não é festa em homenagem ao aniversário da cidade? Qual a necessidade de um espaço privilegiado? Êeeeta Juazeiro sem jeito”, questionou outra internauta.

Entramos em contato com a assessoria de comunicação da Secretaria de Cultura, Turismo e Esportes (Seculte) que apenas confirmou a informação de que a estrutura da festa de aniversário da cidade e também as normas para acesso das pessoas será semelhante a do carnaval.

O PNB está em contato com a empresa citada pelo leitor para prestar esclarecimentos.

Da Redação

3 Comentários

  • Júlio César disse:

    Acho completamente desnecessária também, essa privatização de uma festa como o aniversário da cidade. Quer ganhar seu dinheiro no feriado, faça a sua festa, contrate com o seu dinheiro. A passividade do povo é que alimenta esse tipo de arbitrariedade! O pior é que esses camarotes ocupam uma boa parte da frente do palco, com atrações que o povo que não está no camarote, que é maioria, foi quem pagou!

  • Guilherme Gomes disse:

    normal isso acontece aqui em Juazeiro pois o povo gostar de se ARROMBAR mesmo pois garanto que sábado e domingo o povo estará nas filas brigando pra entrar e pagar 5,00 em uma latinha de cerveja pra mais uma vez enricar essa empresa que virou dona das festas públicas de Juazeiro.

  • Jane Dantas disse:

    Acho totalmente rídiculo e um desrespeito a nós que pagamos nossos impostos que deverão ser investidos para melhorar a nossa cidade, e essa tal de privatização de certa forma exclui o povo que é quem da existencia e vida a cidade!!O aniversário é de Juazeiro que é nossa casa!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.