Empresa Inova rebate denúncia dos trabalhadores rurais sobre condições precárias e maus tratos no trabalho

Empresa Inova rebate denúncia dos trabalhadores rurais sobre condições precárias e maus tratos no trabalho

Na última terça-feira(23) o Portal Preto No Branco publicou uma denúncia de trabalhadores e trabalhadoras rurais da Fazenda Inova, no município de Casa Nova, que relataram estar sofrendo maus tratos e trabalhando em condições precárias.

Nos relatos dos trabalhadores que procuraram nossa redação, eles enumeraram situações como: sucateamento do veículo que faz o transporte dos trabalhadores, falta de Equipamento de Proteção Individual, condições precárias de higiene, Assédio Moral e perseguição, entre outras reclamações.

Veja matéria:

Nossa reportagem procurou a direção da empresa que, em nota, rechaçou as informações passadas pelos trabalhadores a este veículo de comunicação.

Veja nota na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A FAZENDA INOVA, vem a público, em respeito aos seus funcionários, clientes e fornecedores, rechaçar as informações inverídicas e irresponsáveis contidas na reportagem intitulada como “Denúncia” veiculada pelo Blog Preto no Branco com Sibelle Fonseca na data de 24 de Julho de 2018.

A matéria divulga uma suposta denúncia de conteúdo duvidoso, na qual são divulgadas entrevistas realizadas com supostos trabalhadores, não identificados, que se utilizam do medo de sofrer retaliações por parte do proprietário da empresa como motivo para não aparecer.

A reportagem, em tom excessivamente sensacionalista, se esforça em uma narrativa visivelmente tendenciosa, conferindo à FAZENDA INOVA a deturpada imagem de antigas propriedades rurais da época do Império, onde os seus funcionários, supostamente, trabalhariam em péssimas condições, além da imputação negativa da qualidade de transporte dos seus trabalhadores e as condições insalubres do ambiente de trabalho, reputando ainda, à diretoria da empresa uma conduta reiterada de assédio moral, perseguição, dispensas injustificadas, intimidações, ausência de disponibilidade de Equipamentos de Proteção Individual-EPI, entre outros.

Em seguida, a matéria traz declarações da Sra. Rita de Cássia, que se intitula Presidente da SINTRAGO (Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas Agrícolas, Agroindustriais e Agropecuárias dos Municípios de Juazeiro, Curaçá, Casa Nova, Sobradinho e Sento Sé) – representante dos trabalhadores rurais. Nesse momento, a entrevistada declarou que havia diversas irregularidades, como o trabalho forçado, pressão constante, maus tratos na enfermaria (ausência de cuidados e abatimento do dia de trabalho), além de perseguições às lideranças dos trabalhadores. Reiterando as falsas denúncias feitas de forma anônima.

A bem da verdade, é indispensável questionar a credibilidade desta senhora em falar em nome dos trabalhadores rurais, visto que a sua legitimidade é questionada em ação judicial(Ação nº 0001026-24.2017.5.05.0341, em curso no Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região) por vícios tanto na eleição da chapa encabeçada pela Sra. Rita de Cássia, como pela competência territorial do sindicato, em relação aos trabalhadores rurais.

É visível que o objetivo pretendido pela Sra. Rita de Cássia é, tão somente, criar factoides no intuito de convencer a todos da sua conduta de “dirigente sindical aguerrida”. Entretanto, a mesma se vale de acusações falsas de pessoas que não se identificam e, sem qualquer comprovação do que é narrado.

A FAZENDA INOVA foi o “alvo da vez” escolhido para a execução do verdadeiro teatro protagonizado por uma pessoa que se declara representante do interesse de homens e mulheres de bem. Ocorre que a precária representação sindical demonstra, além do seu total despreparo, a sua verdadeira postura contra o interesse daqueles que deveria representar, ou seja, o trabalhador rural, pois difamar e caluniar uma empresa que tem boas práticas de atuação junto aos seus funcionários, zelo pelo ambiente de trabalho, respeito pela legislação trabalhista é atentar contra o interesse do trabalhador, que cada vez mais, se depara com uma realidade da queda de postos de trabalho pela difícil realidade vivenciada pela economia do nosso país.

Imputar falsa prática de crime à pessoa física ou jurídica para conquistar de forma artificial uma imagem de legítima representante sindical só demonstra a total falta de condição ética e moral destas pessoas, devendo servir de alerta e reflexão para todos os trabalhadores rurais, que devem se perguntar se realmente querem ser representados por tais lideranças.

Desse modo, em total discrepância com aquilo que foi narrado na reportagem, a FAZENDA INOVA funciona dentro das mais rigorosas normas trabalhistas, observando a salubridade dos seus ambientes, a segurança dos seus funcionários, a satisfação e a boa convivência dos seus colaboradores em seus mais diversos níveis de trabalho, postos e funções, buscando a excelência dos produtos lá produzidos, sempre com um olhar cuidadoso para o ambiente social e ecologicamente equilibrado.

A grande prova do sucesso da FAZENDA INOVA são as sucessivas e importantes certificações conquistadas pela empresa, que vão desde a qualidade do processo produtivo até o respeito pelos trabalhadores e zelo com as boas práticas empresariais.

Nesse aspecto, menciona-se que a FAZENDA INOVA tem Certificação GlobalGAP há mais de 10 anos, garantindo a segurança alimentar, a rastreabilidade dos produtos e a sustentabilidade no processo de produção.

Além disso, tem certificações sociais: GRASP (GLOBALG.A.P Risk Assessment on Social Practice – GRASP) e a ETI (Ethical Trading Iniciative).

Sendo a GRASP uma avaliação de risco sobre Prática Social.  É também uma certificação que consiste em avaliação de documentos e riscos sociais na produção primária bem como o gerenciamento de qualidade dos produtos. A GRASP também apoia os produtores para abordar questões sociais importantes e desenvolver a conscientização no nível da fazenda.

A ETI é uma associação que trabalha mundialmente para garantir a melhoria das condições de trabalho, a liberdade de associação, a inexistência de trabalho escravo e/ou infantil e visa, também, assegurar um ambiente de trabalho seguro e saudável.

Tais certificações tem importância e repercussão em âmbito internacional, com alto poder de confiabilidade das informações colhidas, assegurando o enquadramento da empresa a todas as normas atinentes à manutenção do padrão exigido no funcionamento da mesma, tanto no manuseio de materiais e equipamentos, quanto no trato com os funcionários e as condições de trabalho existente.

Vale ressaltar, ainda, que a empresa é regularmente fiscalizada pelo Ministério do Trabalho que não constataram a existência das supostas ilegalidades e infrações atribuídas de forma leviana à FAZENDA INOVA. Inclusive, tendo sido fiscalizada na manhã desta quarta-feira, 25 de Julho de 2018, onde não foram encontradas as infrações trazidas na reportagem.

Ante o exposto, é fato público que a FAZENDA INOVA é modelo quando o assunto é qualidade de gestão e condições de trabalho.

Diante disso, não há o que se questionar acerca da idoneidade da empresa, que sempre se esforçou e se pugnou para cumprir os ditames legais, sendo objeto de incansável esforço a constante melhoria de suas instalações e práticas, tanto no contexto da qualidade das condições de trabalho quanto dos produtos por ela produzidos. O que nos impõe a busca pelo esclarecimento dos fatos, estabelecendo a verdade como premissa inegociável.

Informa, ainda, que seu departamento jurídico tomará todas as medidas legais cabíveis em face daqueles que, leviana e irresponsavelmente, atentaram contra a imagem de uma empresa que há mais de uma década gera emprego e renda de qualidade em uma região tão desafiadora do Nordeste brasileiro.

A diretoria da FAZENDA INOVA reafirma o seu compromisso em continuar sendo uma empresa amiga dos seus funcionários, colaboradores e clientes, observando a lei, a ética e as boas práticas empresariais.

Petrolina, 25 de Julho de 2018.

SEBASTIÃO JOSÉ LEITE DOS SANTOS FILHO – OAB/PE 26.474

ANNA KAROLINE SANTANA DE MEDEIROS – OAB/PE 27.134

Da Redação

2 Comentários


  1. SOU FUNCIONÁRIO DA FAZENDA INOVA E TODAS AS DENUNCIAS SÃO VERDADEIRAS

    Responder

  2. Boa tarde.
    A Sra Rita de Cassia não passa de oportunista ela nunca foi filiada a nenhum sindicato e deu um golpe que por enquanto vem dando certo.
    Não tem moral nenhuma para falar de quem maltrata trabalhador quando ela entrou no Sintagro humilhava as funcionárias. Forjou filiação do filho ao sintagro entre outras barbaridades. Sou ex funcionaria e vítima dela. Fátima Moura.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.