Hospital Regional: “Já cansei. O povo e a imprensa estão me cobrando uma posição”, escreve Deputado Roberto Carlos ao Secretário de Saúde Vilas-Boas

 

Nesta terça-feira (2), o PNB teve acesso a uma carta enviada pelo Deputado Roberto Carlos (PDT)  ao Secretário de Saúde do Estado da Bahia Fábio Vilas-Boas enumerando os problemas do Hospital Regional de Juazeiro, alvo de denúncias dos funcionários por atraso de salários, falta de equipamentos de segurança, em pleno período de pandemia do novo coronavírus, e precariedade nas condições de trabalho.

O PNB vem acompanhando a situação de dificuldade dos profissionais da instituição de saúde, e acionando os órgãos envolvidos e parlamentares com atuação na região, no sentido de buscar soluções para os problemas.

Na última segunda-feira(25) o Deputado Roberto Carlos esteve participando de uma blitz no hospital, juntamente com representantes da Secretaria de Saúde da Bahia para averiguar a situação denunciada pelos funcionários.

Na carta, Roberto Carlos diz ao secretário que já cansou, “o povo e a imprensa estão me cobrando uma posição como vice-líder de Rui Costa e como deputado mais bem votado em Juazeiro”.

O parlamentar escreveu que “os principais meios de comunicação e especialistas de saúde falam aqui, em Juazeiro? É que a SESAB só tem olhos para Salvador, principalmente, agora, nesta crise mundial de saúde que alastra o nosso país e não é diferente em nossa Bahia. E nós, da base do governador, não temos elementos justificáveis para desfazer o que a imprensa fala, pois o Hospital Regional de Juazeiro, que é referência para o enfrentamento do COVID- 19, está nesta situação, que é, sem dúvida, uma verdadeira falta de respeito à vida humana”.

De acordo com o deputado, nesta terça-feira (2),o Governo do Estado fez o repasse para que a APMI, empresa que administra o hospital, pague aos funcionários.

Confira a carta na íntegra:   

Caro amigo secretário, Dr. Fábio Vilas-Boas,

Há anos venho informando a V. Ex.ª os problemas que ocorrem no Hospital Regional de Juazeiro – HRJ, entretanto, pouca coisa mudou, de lá para cá.

Agora, mais uma vez, funcionários denunciam o Hospital Regional pela falta de pagamentos dos salários, falta de Equipamento de Proteção Individual – EPIs, falta de alimentação e medicamentos.

Conforme informei ao nobre secretário, semana passada, que iria ao HRJ para ver a verdadeira situação, assim o fiz.

Fui acompanhado do coordenador do Núcleo Regional de Saúde-Norte, antiga 15ª Dires, o Dr. Pedro Alcântara, com a sua equipe da vigilância de saúde, e do presidente do Conselho Municipal de Saúde de Juazeiro, Pastor Robson.

Ouvimos a diretora da empresa gestora (APMI), que administra o hospital, a senhora Hucilene Simões, e ainda o diretor jurídico, o Dr. Emanoel, além de ouvir representantes dos trabalhadores e o representante do sindicato dos médicos do Hospital Regional de Juazeiro, Dr. Júnior Tanure.

Na oportunidade, vimos algumas coisas, que a olho nu, precisam, urgentemente, ser restabelecidas, como o pagamento de salários dos servidores e prestadores de serviços, a reposição de medicamentos e insumos, de modo geral.

Caro secretário, esta situação dificulta a prestação de serviços do HRJ e é importante ressaltar que muitos entes queridos estão perdendo a vida.

Sabe o que os principais meios de comunicação e especialistas de saúde falam aqui, em Juazeiro?

É que a SESAB só tem olhos para Salvador, principalmente, agora, nesta crise mundial de saúde que alastra o nosso país e não é diferente em nossa Bahia.

E nós, da base do governador, não temos elementos justificáveis para desfazer o que a imprensa fala, pois o Hospital Regional de Juazeiro, que é referência para o enfrentamento do COVID- 19, está nesta situação, que é, sem dúvida, uma verdadeira falta de respeito à vida humana.

Não vou me calar diante de tanta falta de respeito à vida das pessoas. Ligo para os seus subordinados, explico a situação e não solucionam este caso.

Já cansei. O povo e a imprensa estão me cobrando uma posição como vice-líder de Rui Costa e como deputado mais bem votado em Juazeiro.

Reconheço o grande desafio, sobretudo, que a Secretaria de Saúde do Estado enfrenta neste momento e foi pensando em minimizar os impactos causados pela pandemia que destinei R$ 1,6 milhão em emendas parlamentares.

Agora, venho pedir a V. EX.ª bastante sensibilidade para solucionar este grave problema que ocorre, há bastante tempo, em Juazeiro, uma cidade-polo, que atende com o serviço de saúde dezenas de cidades vizinhas.

Ainda, vou encaminhar algumas sugestões pelo apreço e carinho que tenho com o nobre amigo e principalmente pelo trabalho que faz na saúde da Bahia.

O nobre amigo é o Neymar da saúde pública do Brasil, mas dê um pito na sua equipe para olhar para Juazeiro, como num drible de um atacante dentro da área para fazer o gol em uma decisão, aos 45 minutos do segundo tempo…e neste caso, a decisão é pela continuidade da VIDA.

1) Que sejam restabelecidos, imediatamente, os 20 leitos gerais que o hospital possui, dos quais foram tirados 10 para os pacientes com COVID-19, pois já eram poucos e com a diminuição de 50% fica muito difícil atender aos doentes gerais, que não deixam de ocorrer;

2) Que efetue, imediatamente, o pagamento de salários atrasados e não mais atrase;

3) Caso a empresa APMI não abasteça o hospital de medicamentos, seja feito o distrato do contrato, imediatamente, chamando a segunda colocada ou faça outra licitação;

4) Considerando o pico do coronavírus para o mês de Junho, seja destinado ao Hospital UNACOM o tratamento de pacientes de covid-19 ou, no mínimo, que sejam criados sete novos leitos de UTI, no hospital UNACOM para o combate ao COVID 19, onde deve funcionar o repouso de quimioterapia. (Inclusive visitei o espaço com médico especialista).

Peço ao nobre secretário que resolva estes problemas urgentes para garantir que estejamos fazendo o bem e zelando pelo povo baiano. Principalmente, neste momento em que o nosso governador se agiganta em defesa da vida humana.

Grato,
Roberto Carlos.

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.