“Por aqui estão levando vida normal”, moradores do Santo Antônio, assustados com o número de casos da covid19, pedem socorro

O Santo Antônio, em Juazeiro, vem assumindo a liderança na lista de bairros com mais casos confirmados de Covid-19, segundo mapeamento da Secretaria Municipal de Saúde. Até o último dia 16, o bairro já registrava 19 pessoas infectadas pelo vírus.

A resposta para esta posição preocupante, segundo moradores do bairro que entraram em contato com o PNB, pode ser associada a ausência do distanciamento social. Tem sido comum observar pessoas reunidas nas praças, nas calçadas, e o pior, muitas sem utilizarem máscaras.

“Parece que o povo do Santo Antônio tá vivendo em outro mundo, um mundo sem esta pandemia. Por aqui estão levando vida normal. Nos finais de semana as festas rolam nas calçadas, nas ruas, em cada esquina tem uma farra. A conhecida praça da Portelinha virou um point de amigos e vizinhos, que fazem até churrasco na rua”, relatou um morador que não quis ser identificado.

“Desde que iniciou esta pandemia que observo isso. A movimentação nas ruas do Santo Antônio nunca parou. O ‘fique em casa’ aqui não vingou. Os bares fecharam, mas as distribuidoras de bebidas e mercadinhos viraram bares e o povo não tá nem aí para o coronavírus. É som alto, e nos finais de semana, piora, é farra em todo canto”, disse uma moradora.

Os moradores pediram “socorro” as autoridades de saúde e de segurança, no sentido de aumentarem a fiscalização no bairro, coibindo os “eventos particulares” nas vias públicas e também a obrigatoriedade do uso de máscaras.

“Eu sei que cada um é responsável por si e a responsabilidade de obedecer a quarentena é de cada um, mas tem muita gente sem noção, que só respeita as normas e leis, quando recebe uma punição, ou alguma pressão. Então, pedimos a prefeitura que escale a Guarda Municipal para fazer rondas mais constantes no bairro, principalmente nos finais de semana. Pedimos também a PM que rode pelas ruas do bairro e impeça este movimento todo, impeça as farras que vem sendo feitas, porque é a saúde de todos os moradores que está em jogo”, reivindicou a moradora, que teve seu pedido reforçado pelo vizinho.

“Precisamos dos guardas municipais e da polícia fazendo rondas no bairro. Quero ver amanhã, dia de São João, se vão respeitar o toque de recolher. Eu mesmo duvido, porque sem ser São João o povo tá fazendo festa e juntando os amigos. Tem crianças e idosos nas praças, como se nada tivesse acontecendo. Será que ainda não acreditam nesta doença terrível? Ninguém vê o sofrimento de quem tá morrendo nos hospitais, né? nem os enterros das vítimas sem os familiares, que não podem participar. Tão alheios ao sofrimento de tanta gente. Será que vai precisar morrer um familiar para se conscientizarem que estamos todos correndo perigo e devemos nos manter no isolamento doméstico?  questionou o morador.

Repassamos a reivindicação dos moradores para os órgãos competentes.

Da Redação   

 

1 comentário

  • Oliveira Freire Arruda disse:

    Meus aplausos ao morador que publicou essa matéria, sem sombra de dúvidas, aqui toque de recolher nunca existiu, surgem boatos que haverá a famosa guerra de fogos, Ruas X Ruas onde os próprios moradores participam, numa crise que estamos passando com essa pandemia. Solicito encarecidamente atuações da Guarda Municipal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.