“Já ultrapassou a altura do telhado”: leitor denuncia acúmulo de lixo em residência de catador no Centro de Juazeiro

Um leitor entrou em contato com a redação do PNB para denunciar um antigo problema que incomoda os moradores da Rua Quintino Bocaiúva, no Centro da cidade: o acúmulo exagerado de lixo, por parte de um morador, que justifica que o material é recolhido nas ruas para fins de reciclagem. O lixo, além de obstruir o passeio público, oferece riscos de saúde ao próprio morador e aos vizinhos.

Há anos os moradores da rua e daquela vizinhança convivem com o problema, que já foi denunciado, inúmeras vezes, aos veículos de comunicação da cidade. “Esse cidadão utiliza esse rótulo de reciclador, embora não seja. Ele é acumulador. Ele só faz acumular o lixo dentro de casa, e não vende. Se ele fosse reciclador ele separaria os materiais. Já tivemos diversos problemas com ele”, disse o morador Genildo Aguiar, que reside em frente à residência.

Conforme Genildo, antes, o morador acumulava os materiais na parte interna e externa da casa, o que causava ainda mais transtornos aos moradores. Atualmente, os resíduos vêm sendo acumulados somente dentro da casa do morador. Em imagens enviadas por Genildo ao PNB, é possível ver a grande quantidade de lixo acumulada no quintal do morador. “A quantidade é enorme que já ultrapassou a altura do telhado”, ressaltou o leitor.

(foto: arquivo pessoal)

Ao longo dos últimos anos, a Prefeitura de Juazeiro, que já tem conhecimento do problema, já chegou a realizar algumas intervenções na casa do catador. Em agosto de 2016, a prefeitura fez a limpeza dentro e fora da casa do morador, e chegou a utilizar uma caçamba e um trator com pá carregadeira na ação de recolhimento do lixo, que durou dois dias.

Em setembro de 2017, a equipe de resíduos sólidos do Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) e membros da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis estiveram na residência e recolheram, novamente, todo o material. Na época, o catador disse que esse era o único meio de sobrevivência e afirmou ainda que tinha outro local para armazenar o material recolhido.

Em abril de 2018, em mais uma intervenção da prefeitura, todo o lixo recolhido foi levado ao aterro controlado do município. Já em novembro do ano passado, a pilha de lixo voltou a ser recolhida pelo município. O problema, entretanto, é que o morador voltar a acumular os resíduos.

1
2
3
4

fotos das intervenções da prefeitura nas respectivas datas citadas acima (fotos: arquivo)

Em virtude das constantes intervenções, o morador agora só acumula o lixo na parte interna da casa. Ainda assim, os vizinhos são prejudicados, tendo em vista que, conforme Genildo, o quintal acaba virando um espaço para proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue e outras doenças, e de outros animais peçonhetos.

O PNB entrou em contato com a Secretaria de Meio Ambiente e Ordenamento Urbano (Semaurb), porém, até a publicação dessa matéria, não obteve retorno.

Da Redação

1 comentário

  • JOSÉ NILTON RODRIGUES DA CRUZ disse:

    SIBELE ESTE DESCASO É ANTIGO (MAIS DE UMA DÉCADA) E OS PODERES PÚBLICOS NÃO ESTÃO NEM AI. É A FORMULA ESCROTA DO COMBATE AS EPIDEMIAS… AFINAL ISTO É BRASIL, BAHIA E NOSSA POBRE E SACANEADA JUAZEIRO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.