Moradores reivindicam asfalto para beco que liga Rua do Paraíso à Joana Angélica

Nesta segunda-feira (27), a Prefeitura de Juazeiro, através da Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (SEDUR) e da Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT), iniciou as obras de recapeamento asfáltico na Rua do Paraíso, bairro Santo Antônio.

De acordo com o órgão, “toda a extensão da via, aproximadamente 1.470m, receberá 5cm de CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente) considerado mais resistente para receber o intenso trânsito de veículos na rua”.

A Sedur informou ainda que priorizou ruas e avenidas que estão com o pavimento danificado pela ação do tempo, chuvas ou outros fatores que dificultam o tráfego de veículos e pessoas, e que a obra está sendo realizada com recursos próprios do município.

Mas com o início das obras surgiu uma reivindicação dos moradores para que o asfaltamento também chegue ao beco que liga a Rua do Paraíso à Joana Angélica, um trecho com grande fluxo de veículos e pessoas, que está com a pavimentação em paralelo já bastante danificada.

” Reconhecemos o valor da obra na Rua do Paraíso, que estava precisando mesmo. O beco que dá acesso a Rua José Petitinga foi asfaltado e o serviço ficou bom, mas por que não estender para o outro beco que faz parte também daquela área e nestes anos todos nunca viu asfalto?”, questionou a moradora Cleise Souza.

Moradora da área há mais de 50 anos, ela finaliza pedindo a prefeitura que avalie a possibilidade de estender o asfaltamento também para o beco, uma via curta e de muito movimento.

“Não esqueçam esta via. Já que as máquinas estão na área atendam nossa reivindicação que é legítima. É um beco curto, acho que não dá nem 50 metros. O calcamento está cheio de buracos, irregular, as calçadas também estão  acabadas e já vimos aqui pessoas se acidentando, caindo por conta da pavimentação antiga e deteriorada. Por esse beco passam idosos, crianças, pessoas com deficiência e não tem nenhuma acessibilidade. É um pedido de nós moradores que sabemos das nossas necessidades e precisamos ser ouvidos “, concluiu a moradora.

Encaminhamos a reivindicação a assessoria da Sedur e aguardamos resposta.

 

Da Redação com informações da SEDUR 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.