“Nem uma rampa de respeito”: usuários reclamam do acesso do ponto das barquinhas, em Juazeiro, e dizem que o local está abandonado

(Fotos arquivo)

Na manhã desta quarta-feira (19), a equipe do PNB esteve no ponto das barquinhas, que fazem a travessia entre Juazeiro (BA) e Petrolina (PE), a pedido de usuários que reclamam do acesso às embarcações, do lado baiano.

“Não existe nenhuma rampa para os passageiros que pegam e saem das barcas. O batente é alto e quem tem algum problema de mobilidade, idosos, por exemplos, correm risco de cair. Já presenciei muitas quedas, tanto na hora de descer para pegar a barca, quanto na subida, que é muito alta. Pessoas com deficiência não podem pegar a barquinha, por falta de acessibilidade mínima. Seria pedir demais fazer um acesso digno aqui?”, questionou o usuário João Medeiros.

No local, uma escada de pedra, que servia de acesso, foi arrastada pela água e até o momento, o poder público não fez a recolocação da estrutura. A escada, era um improviso, que longe de ser a forma de acesso ideal, “quebrava um galho”.

“Com a cheia do rio, a escada saiu do lugar e isso já faz tempo, mas os prepostos da prefeitura ainda não viram, e se viram nada fizeram. Era um quebra-galho, que na falta de um acesso decente, as pessoas usavam. O ponto das barquinhas, em Juazeiro, está abandonado”, reclamou seu João.

A reclamação deste usuário é a mesma dos incontáveis passageiros que utilizam o serviço diariamente, e se arriscam todas as vezes que descem e sobem para pegar o meio de transporte.

Um serviço antigo, implantado na década de 80, por aí, mas que nunca recebeu nenhuma intervenção na sua estrutura. E não estamos nem falando de um pier, uma marina (o que seria mais que necessário). Sequer uma “rampa de respeito” foi construída no local.

“Entra governo e sai governo e o ponto das barquinhas é o mesmo, sem uma marina, sem um acesso digno para os passageiros, sem nenhuma ação de mobilidade, nem uma rampa de respeito fizeram aqui. A obra do parque fluvial não contempla este ponto, que também é turístico, além das barquinhas serem meio de transporte de tantos trabalhadores, estudantes e pessoas da cidade? ” finalizou João, questionando a prefeitura.

Enviamos a reclamação a Prefeitura de Juazeiro e aguardamos esclarecimentos.

Da Redação/ Fotos PNB 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.