“Quem deveria dar exemplo, promoveu aglomeração”: com início da campanha eleitoral, aumenta internação por covid 19, em Juazeiro

Não foram poucos os flagrantes de aglomeração de pessoas em Juazeiro, no Norte da Bahia, noticiados pelo PNB, principalmente após o retorno de algumas atividades não essenciais. Festas em ilhas e chácaras, orla da cidade e bares lotados. Porém, desde o dia 27 de setembro, com o início da campanha eleitoral, caminhadas promovidas por candidatos à prefeitura municipal juntaram milhares de pessoas, sem manter nenhum distanciamento entre as pessoas, algumas sem máscaras, e com muito contato físico.

Não era difícil prever o resultado de tamanha ignorância em plena pandemia de um vírus poderosíssimo, que provoca a covid-19, infecção que já matou mais de 150 mil pessoas no Brasil, sendo 111 em Juazeiro.

Pouco mais de 15 dias de muito corpo a corpo, sobretudo nos eventos políticos, o vírus volta a ganhar força e ameaçar a população juazeirense. Nesta terça-feira(13), a secretaria municipal Saúde alertou que em “24 horas a UPA recebeu 38 pacientes sintomáticos respiratórios chegando a um crescimento de 40% em relação às últimas semanas, resultando no aumento também da taxa de ocupação dos leitos de UTI”.

O órgão informou ainda que “no último dia 4, a cidade chegou a ficar sem nenhum morador internado em leitos de UTI, com a doença. Uma semana depois, o número chegou a 07, sendo 03 internados na Unidade de Pronto Atendimento, 01 no Hospital Regional de Juazeiro, e três em leitos privados do município de Petrolina, no Sertão de Pernambuco”.

(foto: divulgação/Ascom)

“Subestimaram a situação, ignoraram as recomendações e o resultado está aí. Impressionante é ver que quem mais deveria dá exemplo e proteger a saúde da população, fez foi estimular as pessoas a irem às ruas para as caminhadas de campanha. Irresponsáveis”, desabafou a dona de casa Irene Reis.

Mesmo com as recomendações do TSE para que os candidatos fizessem uma campanha digital, em Juazeiro, poucos respeitam os decretos municipais e estaduais, que proíbem eventos com mais de cem pessoas, e sem nenhuma preocupação ou cerimônia, ainda expõem imagens de pessoas aglomeradas nos eventos. Nessa tentativa de mostrar força, quem sai ganhando é o vírus. Quem perde é a população.

“Agora todos vão pagar pela irresponsabilidade de quem diz representar o povo, amar o povo e promete melhorar a saúde, mas já mostra que não está nem aí pra quem tá correndo, se contaminando e adoecendo. A gente sabe quem tá promovendo aglomeração e quem não está, porque tem tudo nas redes sociais. Agora eu pergunto, o Ministério Público, a Justiça, não veem isso não? Estão cegos? Muita omissão”, disse outro leitor ao PNB.

“Eu fiquei abismada com um vídeo que recebi de uma caminhada numa avenida da cidade, juntando centenas de pessoas e era gente se abraçando, sem máscara, apertando na mão, como se a pandemia já tivesse acabado. Todos em risco, os políticos e seus eleitores, e até quem não participa de campanha política, todos nós em risco Eu sabia que ia dá nisso, mas não tem nenhuma fiscalização mesmo. Ficamos ao Deus dará”, reclamou Irene.

(foto: divulgação/Ascom)

Na tarde desta terça (13),o PNB tomou conhecimento que alguns coordenadores, apoiadores e lideranças políticas de campanhas eleitorais no município, testaram positivo para a covid-19. Alguns estão em isolamento domiciliar, mas já há registro de um internamento. Nomes que estão fazendo o corpo a corpo e mantendo contato, diariamente, com centenas de pessoas. Optamos por não expor nomes, embora as informações tenham sido confirmadas por nossa redação.

Estamos encaminhando um pedido de resposta ao MP e ao representante da Justiça Eleitoral no município.

OBS: as fotos foram retiradas das redes sociais dos próprios candidatos. O PNB não identificou fotos de aglomeração dos candidatos Breno Rainan (PSOL), Capitão Moreira (Avante), Paulo Bomfim (PT) e Raffani Souza (Republicanos).

O que diz o Governo do Estado da Bahia

Ao G1 Bahia, o secretário de Saúde da Bahia, Fábio Vilas-Boas, associou o aumento das taxas de internação no interior do estado às aglomerações em comícios e passeatas eleitorais. Ele afirmou que os prefeitos frearam as notificações da Covid-19 por temerem efeitos políticos.

“Dezenas de municípios estão se recusando a testar a população, com medo de aparecerem casos e isso ter impacto eleitoral. Isso é extremamente grave. Nós estamos ficando no pé de vários municípios. Estamos oferecendo uma capacidade de testagem próxima a cinco mil exames por dia no Lacen [Laboratório Central], e estamos processando menos da metade. Alguns municípios, ativamente, estão procurando colocar para debaixo do tapete os casos que estão acontecendo”, disse Vilas-Boas.

O secretário citou ainda há dificuldade em reduzir taxa de internação para percentuais abaixo de 70% em cidades do interior. Ele explicou que esses percentuais estão em desaceleração da queda, ou seja: mais pessoas passaram a ser hospitalizadas, o que fez as taxas caírem com menos rapidez.

“Nós estamos observando, ao longo desses primeiros 10 dias do mês de outubro, um aumento na taxa de internação em alguns hospitais privados, da mesma forma como aconteceu no começo da pandemia. Mas não apenas isso, nós estamos observando desaceleração no processo de queda das taxas de internação no interior”, explicou o secretário. Não conseguimos reduzir os números abaixo de 70%, em várias regiões do interior. Os hospitais privados, assim como os públicos, são obrigados a notificar os casos de Covid, e nós estamos observando um aumento do número de casos, fato confirmado através de monitorização telefônica. Isso tem se repetido em hospitais públicos no interior da Bahia. Em Salvador, a gente caiu abaixo de 50%, a gente começou a desativar leitos. No interior do estado, nós não estamos conseguindo fazer isso, e isso está muito ligado ao processo eleitoral, com centenas de eventos acontecendo nos distritos, em bairros, em todos os municípios da Bahia”, afirmou Vilas-Boas.

Da Redação 

4 Comentários

  • Francisco Ribeiro disse:

    Juazeiro parou de testar a um bom tempo quando começou as atividades da eleição, acredito para não repercutir mal para a gestão atual, acredito que a gestão atual tem visto que sua rejeição nas ruas é muito alta, de forma que não é possível fazer passeatas, então eles estão batendo nos candidatos da oposição que tem participação da população em seus eventos, de toda forma, para candidato A, ou B, ou C, todos devem ter cuidados redobrados com estes eventos. E para o prefeito de Juazeiro, este nunca cuidou da cidade direito no enfrentamento da pandemia, juazeiro foi um fiasco total no enfrentamento da pandemia, demorou para fazer testes rápidos, testou pouco, hospital de tenda de campanha inaugurado muito tarde, cobrou dos comércios protocolos rígidos de segurança, enquanto nas secretarias não tem álcool em gel para os servidores, totem nos corredores, medição de temperatura, além de que durante a pandemia não foi realizado rodizio ou home office dos funcionários, sem falar que mesmo com o decreto para funcionar com expediente interno, isso nunca aconteceu.

  • Maria Aparecida disse:

    Agora a culpa é da aglomeração feita pela candidata da oposição? Faz-me ri viu? Desde que liberaram os bares de Juazeiro e com música ao vivo, a cidade está uma loucura, parece até pior do que quando não existia a COVID… E a culpa é de que? Das caminhadas?rsrsrsrs Se era alguém que deveria dar exemplo aí seria quem está na gestão da cidade, com fiscalizações em ruas e bares… Os bares da vulga cidade baiana além de cheios estão com filas pra entrar e não seguem o protocolo… Sem medidor de temperatura, sem alcool em gel… Pessoas que visitam a cidade se sentem estranhas ao chegar nos locais usando máscaras, pq muita gente não usa mais… E o que comentam é… A CURA JÁ CHEGOU EM JUAZEIRO? Antes de culparem A ou B, fiscalizem, não só apareceu casos novos nos leitos hospitalares como aparecerá se a autoridade competente não tomar medidas cabíveis… Ah acho que não né? É mais fácil culparem as aglomerações dos candidatos da oposição… Melhor da candidata opositora e futura prefeita… Paulo Bonfim já está apelando….

  • Maria da Glória disse:

    Sibele vai procurar o q fazer, sua boquinha está acabando kkkkk

  • Bezerra da Silva disse:

    Acho bem engraçado essa preocupação c a COVID em plena campanha, quer dizer preocupação essa que está sendo utilizada para prejudicar candidatos opositores da gestão e a gente bem sabe qual a candidata eles querem prejudicar mais. Se o prefeito se preocupasse com a Covid, começaria tomando cuidados com os seus funcionários que só foram testados uma vez, n tem álcool em gel p todas as salas e muito menos totem ou medidor de temperatura nas entradas… Eles querem de alguma forma se destacar e estão usando a COVID como isca. Anda nas ruas e bares da cidade pra vcs verem como tá o desespero do povo na rua, bares lotados, fiscalização ZERO e acho que isso deveria partir da atual gestão. Apareceu e vai sim aparecer mais… Juazeiro tá em festa todo dia. E aglomeração nas campanhas? Está em todas… A de Paulo Bonfim parece um carnaval, povo na rua, povo postando foto como se fosse carnaval e com lata de cerveja na mão, dando mal exemplo para os demais. Que vergonha eu sinto de quem deveria cuidar da nossa cidade e deixa aí as traças, aí depois aumentam os casos do vírus, fica isento de culpa culpando os demais candidatos… Façam campanhas p o prefeito de vcs mais aplausiveis, com o que ele fez… Candidato qd é bom não precisa atacar oposição, mostra pra que veio… Seu dia de cair fora tá chegando prefeito!!!

1 Trackback

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.