“O mal de Juazeiro é a língua do seu próprio povo”, por Almicar Mesquita

A mania de tentar ser politicamente correto em tudo muitas vezes faz mal. É falando certas verdades, por mais dolorosas que sejam, que talvez a gente consiga mudar algumas coisas. E a verdade é que Juazeiro não merece o povo que tem. Mas aqui também há muita gente boa.
Nesta segunda-feira, 7, a Revista Exame publicou matéria colocando a cidade com a primeira no ranking do agronegócio do país. Juazeiro não é a décima, a sétima, a segunda… Ela é a PRIMEIRA!
Qualquer outro lugar do mundo se orgulharia, faria festa, comemoraria, mas aqui não, aqui tem gente que vai encher as caixas de comentários de blogs e redes sociais com o fel que carregam dentro de sim. E questionam, e fazem pouco, e reclamam, e desacreditam, e demonstram infelicidade porque a cidade virou destaque nacional! Estão infelizes porque Petrolina aparece em segundo e não conseguem expressar o complexo de inferioridade admirando a grama dos vizinhos!
Quando saem os dados do Caged, que colocam a cidade como a que mais gera empregos, a mesma coisa. Quando sai o IDEB, que destaca Juazeiro como a melhor educação do estado, o mesmíssimo chorume! Vão ser ruins assim lá longe e aprendam o que é ter motivos para reclamar!
Juazeiro infelizmente tem um povo que atira pedras em quem faz sucesso, vilipendia quem consegue o aplauso do país. João Gilberto foi aclamado como gênio pelo mundo e respeitado pelo seu jeito introspectivo, excêntrico, mas aqui não. Aqui ele foi maltratado jovem, criticado no auge e difamado quando morreu. No dia em que o mundo chorava sua morte, juazeirenses reclamavam que ele não gostava da cidade como se tivessem alguma intimidade com ele! Uma reportagem do jornal O Globo daquele domingo falava que a cidade não gostava de João.
É um povo infeliz, venenoso, sem amor próprio e metido a ser juiz do universo, impondo a si o autoflagelo moral! Talvez por isto ainda respeitem os penitentes.
Daniel Alves ganhará uma estátua em sua homenagem. Qual cidade do mundo não gostaria de ser a terra natal do maior ganhador títulos da história do futebol? Juazeiro. O povo daqui não gosta, reclama, fica com raiva ou inveja (para ser mais preciso).
Leia de novo as caixas de comentários e você verá gente reclamando que ele não faz nada pela cidade, não ajuda ninguém, como se os bons tivessem que sair se autopromovendo por serem bons! Vocês não merecem nem jogador de várzea, nem o mais terrível caneleiro!
O esporte predileto dessas pessoas é falar mal, reclamar, jogar para baixo, humilhar. No campeonato da autodepreciarão, os juazeirenses são campeões!
Não se enganem: Juazeiro só vai melhorar como cidade quando o seu povo mudar de mentalidade. Como não dá para importar uma população inteira, levaremos algumas gerações para ver isto acontecer. Até lá, choro e ranger de dentes.
*Amilcar Mesquita*, empresário juazeirense e apaixonado por esta terra

11 Comentários

  • Marcos Onildo disse:

    Esse empresário deve saber tratar juazeiro melhor que a própria população… mas se acha tão esperto que acaba esquecendo que Juazeiro é alguma coisa por causa dessa população que ele tanto julgou nesse texto frivolo.

  • Eliude disse:

    Verdade meu caro .Concordo plenamente contigo

  • Roberto alves disse:

    O povo de Juazeiro hoje não presta para você pelo fato de ter aberto os olhos e tirou de forma humilhante o governo ao qual você defendeu ,antes era um povo sábio, desculpa porém hipocrisia não curto

  • Carlos Miguel disse:

    Infelizmente, tudo que está escrito na matéria é verdadeiro. O povo juazeirense em sua maioria sofre da síndrome do complexo de vira-latas. Deixe de elogiar as coisas boas da cidade, para admirar o que acontece fora ,que em muitos casos é menos relevante.

  • Eliezer souza disse:

    Tenho que te corrigir, Juazeiro é oque é hoje por causa de PARTE da população, não concordo com algumas ofensas que ele fez, mas tenho consciência de que PARTE da população de Juazeiro tem uma mente atrofiada.

  • Visão de ótica disse:

    Onde que Juazeiro progride , Sr Mesquita? Nos poupe.A escultura parece com o prefeito , segundo o repórter. Kkk

  • Joaquina disse:

    Belo texto

  • Edimeire Lima disse:

    Compartilho do seu sentimento, Amílcar, fazer esse retrato do povo de Juazeiro e esperar que esse mesmo povo leia, reflita, faça uma análise e tente uma mudança de comportamento quanto a nossa cidade, foi uma atitude muito corajosa. Vamos seguir e esperar que essa mudança encha a cidade de orgulho.

  • Maicon disse:

    Muitos em Juazeiro, sofrem do complexo do cachorro vira latas… Ativaram o modo “detona a cidade”, permanentemente… Precisam de psicólogo urgente…kkkk

  • Maria José disse:

    Concordo com vc Amílcar, fiquei triste com as piadas que fizeram com a estátua do Daniel, ao invés de ficar felizes fazem piadas. Não valorizam nossa história.

  • Poeta Sérgio Murilo disse:

    Adoro Juazeiro. Espero que sua população aprenda a fazer o exercício de valorizar esta terra e assim se auto valorizar. Juazeiro é tão bacana que quem bebe desta água não quer ir embora. Viva Juazeiro. Viva seu povo trabalhador e hospitaleiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.