Vice-reitor temporário da Univasf renuncia ao cargo alegando incompatibilidade com o atual reitor da instituição

(foto arquivo)

O atual vice-reitor temporário da Universidade Federal do Vale do São Francisco, Valdner Dazio Ramos Clementino, foi exonerado. A decisão foi publicada no Diário Oficial da última segunda-feira (11).

Valdner deixou o cargo, que ocupava desde  17 de abril de 2020 na atual gestão pró-tempore, após renunciar. Em seu pedido o ex-vice-reitor alegou incompatibilidade entre ele e o atual reitor temporário Paulo Cesar Fagundes. Em carta divulgada na última terça-feira (12) ele classificou como “atitudes um tanto quanto estranhas” as adotadas pelo reitor Fagundes.

 

(foto PNB)

 

A Univasf está com uma gestão temporária desde abril de 2020, quando o reitor eleito, Telio Nobre Leite, foi impedido de assumir o cargo, após uma das chapa que perdeu o pleito ingressar com ação judicial. Desde então, devido a uma liminar, o processo de nomeação segue parado na segunda instância, aguardando o julgamento de mérito pela Justiça Federal de Petrolina.

De acordo com fontes ouvidas pelo PNB ligadas ao Conselho Universitário da Univasf “a comunidade acadêmica tem se mostrando insatisfeita com a gestão pró-tempore, pois os indicados para ocuparem os cargos de reitor e vice reitor temporários, foram os membros ligados a chapa que judicializou o processo, tendo como um dos principais líderes o professor Valdner Ramos, que agora nove meses depois resolve entregar o cargo”, declararam.

Até o momento, nenhum outro vice reitor foi nomeado. Ainda de acordo com os membros do Conselho Universitário, a saída do “principal articulador político”, do grupo que ocupa temporariamente a gestão da Univasf causou grande surpresa.

“Todos os pró-reitores nomeados pela gestão pró-tempore foram os apoiadores da chapa que paralisou o pleito democrático na justiça e vem se beneficiando deste processo de gestão transitória com a ocupação de cargos. No entanto, o próprio grupo, por não ter um projeto legítimo e aceitação da comunidade, tem mostrado grande inoperância, e uma delas foi a saída abrupta da pró-reitora de gestão de pessoas, que em ofício alegou desrespeito e desinformação por parte da gestão em 24 de novembro, entregando o cargo”, finalizaram.

 

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.