“Não seria prudente adiar”? leitor questiona realização de processo seletivo da PMBA neste momento grave da pandemia

 

A Polícia Militar da Bahia, juntamente com o Instituto de Ensino e Pesquisa (IEP), anunciou nesta quarta-feira (08) a abertura do Processo Seletivo para o Curso de Formação de Oficiais Auxiliares Policiais Militares (CFOAPM 2021). A seleção tem como público-alvo os policiais militares oriundos da carreira de Praças, unicamente ocupantes da graduação de Subtenente PM.

Entre as etapas do processo seletivo está a inscrição pelos critérios de merecimento, avaliados através de prova de desempenho profissional intelectual, marcada para ser aplicada no próximo dia 2 de maio, na capital Salvador.  A prova terá duração de 05 horas.

Apesar do processo seletivo ser muito aguardado pelos Policiais Militares, chama atenção o fato da realização da prova presencial, neste momento grave da pandemia do novo coronavírus, também no Estado da Bahia.

De acordo com informações apuradas por nossa redação, em média, 1.400 subtenentes, da capital e interior do estado, estão aptos a realizarem as provas.

“Vai juntar todo esse pessoal em um local para fazer as provas? Serão testados antes? Se aguardou com muita expectativa este edital com muita expectativa, muitos policiais vem se preparando há tempos para o processo seletivo, mas ele surge bem no pior momento da pandemia, onde o próprio governo vem lutando contra a propagação do vírus, adotando diversas medidas restritivas. Este vírus já matou milhares de pessoas no nosso país, inclusive Policiais Militares. Então, pergunto: não seria mais prudente adiar a prova? cancelar jamais, mas adiar seria mais seguro para os candidatos. Os policiais militares estão prestes a serem vacinados. Por que não aguardar a vacinação e só depois realizar o processo?”, questionou um leitor do PNB.

Segundo o leitor “os policiais candidatos e os seus representantes legais não estão reclamando e nem se manifestaram, temendo o cancelamento do processo seletivo tão esperado. Mas sei de muitos que estão apreensivos, pois sabem do risco de correm”, avaliou.

Ele chama atenção também para o número de policiais do interior do estado que se deslocarão até a capital para realizar a prova, correndo risco de contraírem o vírus ou propagarem a infecção.

“Os pms do interior serão os mais prejudicados. Quem tá capital corre menos riscos, pois estão em casa. Mas quem vai de excursão? muitas excursões já estão programadas para levar os profissionais das cidades do interior para Salvador, e com ônibus cheios. Além dos riscos no deslocamento, esses polícias também vão precisar se hospedar em hotéis, sair para se alimentar na rua, entre outras exposições. É um risco muito grande. O Governador Rui Costa precisa rever isso”,  finalizou.

O PNB está encaminhando as reclamações para a assessoria do Governo do Estado e da PMBA.

Da Redação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.