“Uns fecham, outros funcionam normalmente”: donos de bares denunciam descumprimento das medidas restritiva, em Juazeiro

0

 

O toque de recolher, que proíbe a permanência e o trânsito em vias, equipamentos, locais e praças públicas está em vigor em Juazeiro desde o dia 19 de fevereiro, teve horário reduzido e vai funcionar até o próximo dia 26, das 21h às 5h, no município de Juazeiro, no Norte da Bahia.

Por conta da medida restritiva, decretada pelo Governo do Estado, restaurantes, bares e congêneres devem encerrar o atendimento presencial às 20h30. Após este horário, estão permitidos apenas os serviços de entrega em domicílio (delivery) de alimentação até as 24h. Até o sábado, os estabelecimentos deviam fechar as porta às 19h.

Porém, de acordo com reclamações recebidas pelo Portal Preto no Branco, a restrição não vem sendo respeitada por alguns estabelecimentos da cidade que, sem fiscalização, comercializavam bebidas alcoólicas, também vedada no decreto e funcionam normalmente.

“Na verdade, o decreto só funciona para alguns. Muitos bares, inclusive do centro da cidade, ficam abertos fora do horário. Alguns até fecham as portas, mas mantém os clientes dentro e aglomerados. Não há fiscalização em Juazeiro. Isso é muito triste, pois estamos vivendo um momento de muita apreensão com essa doença”, reclamou o dono de um estabelecimento que preferiu não ser identificado.

Outra comerciante reclamou que um estabelecimento recém inaugurado no bairro Alto do Cruzeiro, também não está seguindo os decretos estaduais.

“Eu sou dona de um bar e estou seguindo o decreto. Porém, há um estabelecimento novo e recém inaugurado que não está. Ficam abertos nós horários proibidos, fazem aglomerações e  inclusive, vendem bebidas alcóolicas durante o final de semana, o que é proibido. Enfim, estou indignada com essa situação, principalmente porque os donos desse estabelecimento são funcionários da prefeitura e não há fiscalização. Nem os garçons atendem com máscara. Enfim, uns fecham, outros funcionam normalmente”, denunciou.

O PNB está encaminhando a reclamação para o setor responsável pela fiscalização no município e também para a Polícia Militar.

 

Da Redação

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome