Moradores do residencial Juazeiro 2 reclamam de buraco em avenida do bairro; prefeitura responde

0

(foto arquivo pessoal)

Há pelo menos quatro anos, moradores do residencial Juazeiro 2, no município de Juazeiro, no Norte da Bahia, sofrem com um problema que tem provocado transtornos para a comunidade.

De acordo com eles, após realizarem uma intervenção, funcionários do Serviço Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE) deixaram um grande buraco em uma das avenidas principais do bairro.

“Quebraram o asfalto para resolver um problema na rede de esgoto e acabaram criando um outro maior. Carros já atolaram e ficaram danificados por conta desse buraco. Além disso, existe um grande risco de acidentes”, contou a moradora Tereza Azevedo.

Ainda de acordo com ela, por conta do problema, os veículos acabam transitando pela calçada, colocando os moradores em risco.

“Tenho netos pequenos e ficamos com medo até de sentar na porta de casa, pois os carros acabam desviando do buraco e subindo na calçada. Já botamos pedras e pneus no local para evitar esse trânsito, mas os condutores reclamaram e acabamos tirando. São muitos transtornos”, acrescentou.

(foto arquivo pessoal)

A moradora contou ainda que mesmo após a intervenção do SAAE, o problema na rede de esgoto continua.

“Constantemente a rede de esgoto não suporta a demanda e as bocas de lobo estouram. Agora mesmo, além da água da chuva, também tem esgoto acumulado no buraco. Está um odor insuportável. A prefeitura precisa resolver esse problema urgente. Não aguentamos mais”, finalizou.

O PNB encaminhou as reclamações para a Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (SEDUR) e para o SAAE.

Em resposta, a SEDUR afirmou que “está em constante monitoramento do surgimento de demandas relacionadas a tapa-buracos e requalificação de vias na cidade e está trabalhando em um processo de contratação, através de licitação de empresa para realizar o serviço o mais breve possível”.

Já o SAAE informou que vai verificar as intervenções que já aconteceram no local para tentar identificar o que foi danificado pelo órgão.

 

Da Redação

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome