“Em uma investigação criminal nada pode ser descartado”: diz mãe de Beatriz Mota sobre boneca com sinais de violência, encontrada em Petrolina

0

(foto divulgação Petrolina em Destaque)

Na manhã do último sábado (24) moradores do bairro Jardim Guararapes em Petrolina, no Sertão de Pernambuco, foram surpreendidos com uma  boneca pendurada em um poste de uma das ruas do bairro.

Segundo informações do site Petrolina em Destaque, um morador achou o brinquedo no lixo e colocou no local para chamar atenção, retirando horas depois. Na imagem divulgada, é possível perceber que a boneca teve o corpo pintado com traços vermelhos, que se assemelham a cortes.

Após o episódio inusitado, Lucinha Mota, mãe da menina Beatriz Angélica, que foi assassinada a facadas no dia 12 de dezembro de 2015, associou a exposição da boneca com sinais de violência ao assassinato da filha. Para ela, o autor da ação pode ter tido a intenção de passar uma mensagem sobre o homicídio da filha.

Durante o programa Preto no Branco transmitido na Transrio 99 FM, na manhã desta quarta-feira (27), Lucinha falou sobre o caso, e pediu ajuda dos moradores para identificar quem pintou a boneca, que ainda carregava um cano na mão, o que pode ser associado a um diploma de formatura e um pano no pescoço, representação de enforcamento. A menina Beatriz Mota foi assassinada barbaramente durante uma cerimônia de formatura no Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina.

“Muito estranho o fato desta boneca toda marcada com traços que simbolizam violência, representando uma vítima também de enforcamento e com um canudo na mão, aparecer assim em um poste de uma rua em Petrolina. Para o investigador americano, que está nos auxiliando na elucidação do crime de minha filha, esta boneca pode representar muito. Pode haver alguma mensagem por trás deste ato bizarro. Em uma investigação criminal nada pode ser descartado. Os peritos acreditam que pode sim ter alguma relação com o crime, algum recado ou mensagem, e isso é muito sério. Precisa ser investigado. Quem iria brincar com uma representação tão forte e macabra desta? “, disse Lucinha.

Durante a entrevista a mãe de Beatriz informou que após buscas por informações junto aos moradores do bairro, conseguiu encontrar a dona da boneca e o morador que a pendurou no posto.

” Eu já consegui identificar a dona da boneca, que jogou o brinquedo no lixo, e também o rapaz que pôs no poste. Ambos disseram que não foram os autores da pintura. Por orientação do investigador americano, preciso encontrar que fez esta representação de violência contra uma criança. Peço ajuda dos moradores do bairro para identificar o autor. Tem uma terceira pessoa que precisa ser identificada”, apelou a mãe de Beatriz.

De acordo com Lucinha Mota, os delegados da Polícia Civil de Petrolina, que estão investigando o crime, já foram informados sobre este episódio.

Qualquer informação pode ser passada para o PNB, através do (74) 8847-3422 ou diretamente para a família de Beatriz Mota (87) 8168-1496

Da Redação

 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome