“Lá fui bem atendido”: por falta de testes rápidos em Juazeiro, casos suspeitos estão atravessando a ponte em busca da testagem em Petrolina (PE)

0

 

 

Os especialistas em saúde orientam que os casos suspeitos e confirmados da Covid-19 permaneçam isolados para evitar a proliferação do novo coronavírus. Porém, no município de Juazeiro, no Norte da Bahia, os moradores que  apresentam os sintomas da doença estão precisando realizar uma verdadeira peregrinação em busca de testagem.

Nos últimos dias, o Portal Preto no Branco vem recebendo diversas reclamações sobre a falta de testes rápidos nas Unidades Básicas de Saúde da sede e do interior do município. Uma delas veio do morador do bairro Novo Encontro, Francisco Souza.

“Comecei a apresentar os sintomas de Covid-19 na segunda-feira e como trabalho no bairro Codevasf, procurei imediatamente a Unidade Básica de Saúde do bairro Argemiro. Fui no período da manhã, mas a unidade estava lotada e pediram que eu voltasse a tarde. Quando retornei, fui notificado como caso suspeito, mas o médico me orientou a fazer um teste particular, afirmando que estava faltando o teste rápido na rede municipal”, relatou o morador.

O usuário afirmou ainda que mesmo após a informação, realizou uma peregrinação pelas UBS’s da cidade em busca de testagem em alguma unidade.

“No dia seguinte eu procurei os postos de saúde do bairro Novo Encontro, Angary, Piranga, João XXIII, e em todos tive a mesma informação de que não tem testes. Tem que fazer particular”, acrescentou.

Francisco relatou ainda que por não conseguir ser testado em Juazeiro, precisou procurar uma unidade do município vizinho, Petrolina, no Sertão de Pernambuco.

“Ontem decidi procurar uma unidade do município de Petrolina. Fui até o posto de saúde do bairro Gercino Coelho e lá fui bem atendido. Fiz o teste rápido, testei positivo. Hoje voltarei ao Centro de Convenções para fazer um novo teste”, finalizou.

A situação vivida por Francisco é semelhante a da moradora Luanda Cristina. Moradora do bairro Argemiro, ela foi notificada e após aguardar por 10 dias em isolamento domiciliar, não conseguiu ser testada na cidade em que reside.

“Fui notificada junto com a minha filha, que tem 10 meses e me garantiram que nós duas seríamos acompanhadas e testadas na terça-feira (27), quando acabaria meu isolamento. Porém, nunca recebi nem uma ligação. Retornei a unidade na terça e fui informada que o município não está testando por falta de testes rápidos. Como o meu atestado acabava naquela data e eu precisava de uma resposta para voltar ao trabalho, decidi procurar o Centro de Convenções de Petrolina. Lá fui muito bem atendida e testada, mesmo informando que eu morava em Juazeiro. Testei positivo, fui atendida por uma profissional de saúde que me passou as orientações necessárias para minha recuperação e recebi um novo atestado”, contou.

Ela chamou a atenção ainda para as consequências que a falta de testagem podem causar para a população.

“Imagine se por falta de teste e com o fim do meu atestado médico eu tivesse retornado ao trabalho, mesmo com o vírus ainda ativo, quantas pessoas eu colocaria em risco? Como em plena pandemia a prefeitura não está testando casos suspeitos da Covid-19? Para onde está indo os recursos da saúde? Existe uma grande subnotificação de casos na cidade e isso prejudica ações de combate a doença, pois nos dá a falsa sensação de que a situação está controlada. O número de casos confirmados que a gestão divulga não é real e isso é um absurdo. A prefeitura precisa explicar o que está acontecendo e resolver a situação o mais urgente possível”, concluiu.

O PNB está em contato com a Secretaria de Saúde desde a última quarta-feira, em busca de respostas sobre a falta de testes rápidos no município. Até o momento, fomos informados apenas que a SESAU está fazendo “compras de emergências até que os testes da grande compra cheguem”. A Ascom informou ainda que está “priorizando o atendimento no Lacen onde está a maior demanda”.

 

Da Redação/ Foto ilustrativa

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome