Satisfação: após manifestação, Coletivo de trabalhadores da cultura, em Juazeiro, dialoga com a Prefeita Suzana Ramos e entra em entendimento sobre Auxílio Emergencial

 

 

Na manhã desta quinta-feira (20), um coletivo de trabalhadores do setor cultural do município de Juazeiro, no Norte da Bahia, realizou uma manifestação em frente ao Paço Municipal para reivindicar um diálogo com a gestão sobre o Auxílio Emergencial anunciado para a classe.

De acordo com representantes do coletivo, a proposta encaminhada pelo executivo à Câmara de Vereadores não contemplaria as necessidades da categoria, que não foi ouvida sobre os critérios que serão adotados para inclusão dos beneficiários ao Auxílio Emergencial.

“Essa reivindicação pelo Auxílio Emergencial é mais do que justa. Já soubemos de uma proposta que foi lançada pela prefeitura, e apesar dela ser interessante, é desinteressante a maneira como ela foi construída. Não se ouviu os artistas que estão representando a sociedade civil. Houve apenas uma conversa com artistas que fazem parte do  governo, e isso se caracteriza como verticalidade na discussão. É importante que o movimento seja escutado, pois é o movimento que tem as proposições para que o Auxílio Emergencial seja de fato concretizado. Quais são as diretrizes para receber esse auxílio? Isso não foi discutido com a categoria. Se não houve essa discussão, essa relação está sendo antidemocrática”, declarou o produtor cultural Marcos Velasch.

Na manifestação, o coletivo pedia uma audiência com a Prefeita Suzana Ramos, o que não foi possível, no primeiro momento.

Após entendimento, a gestora municipal recebeu uma comissão de artistas do coletivo, em seu gabinete, e garantiu que o movimento, em conjunto com a pasta da Cultura, irá definir os critérios para recebimento do benefício emergencial.

“Agradecemos a todos que participaram da construção deste coletivo. Nós insistimos, abrimos o debate com quem está ao redor da prefeita e dize que nos representa, mas não nos representa e sim aos próprios interesses. Depois de muita reivindicação e de uma organização bonita, a Prefeita Suzana Ramos nos recebeu. Agradecemos a ela por atender a pauta do coletivo e, na reunião, explicamos que além do Conselho Municipal de Cultura, existe um coletivo que pautou a necessidade do Auxílio Emergencial. Esse dialogo, então, tinha que ser feito com o Coletivo. Nossa missão agora é estabelecer os critérios, definir quais serão estes 300 artistas que receberão o benefício emergencial. A prefeita entendeu, nos  explicou sobre o recurso de 360 mil e disse que, em cima deste recurso, a gente construirá os critérios. Ela deixou nas nossa mãos. O Secretário de Cultura pediu 48 horas para se reunir com o procurador e, em seguida, nos reuniremos para definir os critérios. Enfim , a pauta foi colocada na mesa, e a prefeita nos atendeu, garantindo que os critérios somos nós que definiremos, juntamente com a pasta da Cultura”, afirmou Márcio Ângelo, do Grupo Cultural Naenda, e representante do Coletivo.

Auxílio Emergencial

Nessa quarta-feira (19), a Prefeita Suzana Ramos anunciou que o município vai pagar um auxílio de 3 parcelas, no valor de R$ 400,00, para os trabalhadores do setor cultural na cidade. De acordo com a gestão, o apoio totaliza o montante de R$ 360 mil e será direcionado a artistas e trabalhadores da cultura que tiveram suas atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social para enfrentamento da crise sanitária.

Ainda de acordo com a proposta, que ainda será votada pela Câmara de vereadores, o auxílio será dividido em três vezes (ou seja, R$ 120 mil mensal) e deverá contemplar cerca de 300 pessoas.

 

Da Redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.