“Quem pega o almoço lá vai comer o quê, onde?”: usuários questionam a suspensão temporária das atividades dos Restaurantes Populares de Juazeiro, em “plena pandemia”

 

Após anuncio da Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES), informando a suspensão temporária das atividades dos Restaurantes Populares de Juazeiro, a reação de usuários do serviço foi imediata.

De acordo com o anúncio, “as unidades serão fechadas, nesta segunda-feira (31), devido a razões operacionais e para que a prefeitura realize ajustes para melhor atender aos juazeirenses nesse período de pandemia. As unidades serão reabertas na próxima semana, com a distribuição diária de 700 marmitex gratuitamente para a população”.

O ajudante de pedreiro João Pedro da Cruz disse ao PNB que todos os dias almoça no restaurante popular e depende do serviço para fazer a refeição. Ele questiona: “Tem anos que almoço todo dia lá e como eu tem muita gente que se vale do restaurante para almoçar. Como a gente vai passar uma semana? Ficar com fome até resolverem reabrir. Logo agora com esta crise da pandemia, muita gente desempregada, sem ter comida no prato, vocês suspendem? Uma malvadeza com a gente”, desabafou.

A diarista Marinalva Santos também ficou desapontada com a suspensão do serviço que garante alimentação para as pessoas em vulnerabilidade econômica.

“Passei um tempo da minha vida almoçando no restaurante popular. Agora que estou empregada não necessito mais, mas penso no tanto de gente que depende deste prato de comida, ficar uma semana sem ter o almoço. Fome não espera não, prefeita. Até vocês reabrirem, aquele tanto de gente que pega o almoço lá vai comer o quê? onde? Tantas mordomias para vocês cortarem e vão cortar logo a comida dos pobres, em plena pandemia?”, questionou a diarista.

No mês de julho do ano passado, a gestão anterior, com o objetivo de auxiliar a população no momento de pandemia, passou a distribuir as refeições diárias, gratuitamente nos Restaurantes Populares do centro e do bairro João Paulo II, inclusive estendendo a distribuição também aos sábados e domingos, o que aconteceu até o dia 19 de novembro de 2020.

Cada unidade doava por dia, 500 almoços. Antes da nova medida adotada pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES), do governo municipal anterior, as refeições eram servidas pelo valor de R$1,50.

Nós encaminhamos a reclamação dos usuários para a Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (SEDES) questionando também quais “as razões operacionais” e “ajustes” necessários justificados pelo órgão para a suspensão temporária do serviço, mas até o momento do fechamento desta matéria não obtivemos respostas.

Da Redação  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.