“Estou desesperada”: filha de paciente internada no Hospital Regional de Juazeiro reclama da falta de informações sobre estado de saúde da mãe

1

 

 

 

“Estou precisando de ajuda. Estou desesperada”, esse foi o desabafo da leitora Maria Emanuela Santos Guimarães ao PNB, que está com a mãe internada desde a última quinta-feira (15), no Hospital Regional de Juazeiro, e se queixa da falta de informação da instituição sobre o estado de saúde da paciente.

Elisangela dos Santos Costa, 37 anos, foi internada após sentir fortes dores abdominais.

“Ela foi internada na quinta-feira com muitas dores abdominais, o abdômen alto e com alguns caroços. O hospital informou que ela não tinha direito a acompanhante, pela idade e também por conta da covid. Até aí tudo bem. Na sexta minha tia retornou ao hospital para entregar os documentos. No sábado, quando ela voltou lá foi informada que os documentos sumiram e chegaram a dizer que a família não tinha entregue”, relatou a filha.

Segundo a familiar, na sexta-feira a irmã da paciente sentiu “que ela estava piorando, já sem andar e não estava sendo bem tratada”.

“Ela disse a minha tia que estava com sede e com fome. Minha tia, no horário de visita, deu um banho nela e percebeu que ela estava sozinha, não estava sendo bem tratada”, contou a filha.

Ainda de acordo com Maria Emanuela, durante o final de semana, a família tentou, junto ao hospital, saber informações sobre o estado de saúde de Elisângela, mas a orientação foi de que esperasse uma ligação do médico, o que não aconteceu até o momento.

“Disseram que o médico iria ligar para repassar o estado de saúde de minha mãe, inclusive dando o diagnóstico, pois nem sabemos que doença ela tem. Deixamos 3 números de contato e não fizeram nenhuma ligação, até o momento. Não sabemos, oficialmente, como minha mãe se encontra”, disse a filha.

Ela ainda relatou que, nesta segunda-feira (19), quando os familiares foram visitar a paciente, foram informados de que ela havia sido transferida para a UTI.

“No domingo minha tia sentiu que ela já estava bem prostrada, mas não disseram o que ela tinha. Hoje voltamos ao Regional e a assistente social disse que ela foi para UTI, após complicações. Ela disse que não conseguiu contato com a família, o que não é verdade. Os 3 números que informamos lá, não tocaram e não chegou nenhuma mensagem. Eu pergunto: como transferem um paciente para a UTI sem comunicar a família? A assistente social disse, por alto, o diagnóstico, mas esta seria a obrigação do médico que está atendendo minha mãe. Ela está lá e não sabemos de nada. Muita falta de humanidade e de responsabilidade com os pacientes e suas famílias”, concluiu a filha.

Lembramos que, é um direito dos familiares, receberem informações sobre o estado de saúde do paciente internado, inclusive sobre os procedimentos adotados.

Estamos encaminhando a reclamação para a instituição hospitalar, e aguardamos uma resposta.

Da Redação

1 COMENTÁRIO

  1. Gente, quanto absurdo! A família tem todo o direito de saber e ver sua familiar internada. Espero que as pessoas responsáveis façam seu trabalho direito e respeitem a população. Chega de descaso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome