Leitor do PNB questiona demarcação de vaga pública na Adolfo Viana por um comerciante da avenida; CSTT garante apurar irregularidade

Leitor do PNB questiona demarcação de vaga pública na Adolfo Viana por um comerciante da avenida; CSTT garante apurar irregularidade
(foto arquivo pessoal)

 

 

Um leitor do Portal do no Branco entrou em contato com a redação para reclamar de uma situação irregular que, segundo ele, vem acontecendo na Avenida Adolfo Viana, em Juazeiro, no Norte da Bahia.

De acordo com ele, que preferiu não ser identificado, os proprietários de um estabelecimento estão privatizando uma vaga de estacionamento que é pública.

“Na calçada do edifício Topázio existe uma faixa branca, ou seja, local onde se pode estacionar o carro. O problema é que o dono de um Pet Shop que tem embaixo do edifício colocou cones para que ninguém estacione na frente da sua loja. Eu vendo que era faixa branca, e não tinha o porque aqueles cones estarem ali, estacionei o carro e fiquei esperando minha esposa que estava na lotérica. O dono da loja me fez passar por um constrangimento enorme, onde gritava e queria que eu saísse da vaga a todo custo. Perguntei se os cones eram da fiscalização de trânsito e ele disse que era da loja, portanto não retirei o carro. Solicito que a CSTT tome uma providência, e tire os cones de lá, que conscientize o dono dessa loja, que a rua é pública e ele não pode privatizar uma vaga assim”, reclamou.

O PNB encaminhou a reclamação para a Companhia de Segurança Trânsito e Transporte. Em resposta, o órgão informou que “equipes de fiscalização da CSTT e Semaurb foram encaminhadas até o local citado na Av. Adolfo Viana, e que irão avaliar a situação relatada. Caso seja constatada irregularidade, as medidas cabíveis serão tomadas. Inclusive, no local consta uma placa de proibido estacionar”.

Da Redação

1 comentário


  1. É preciso que se devolva as vias publicas e passeios da Adolfo Viana que os botecos tomaram pra si.
    Obrigando a pedestre a disputar espaço com os automóveis.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.