“Não tem anestesista”, diz gestante, em mais uma denúncia contra o atendimento do Hospital Materno Infantil de Juazeiro

"Não tem anestesista", diz gestante, em mais uma denúncia contra o atendimento do Hospital Materno Infantil de Juazeiro

Além da escassez de material para a realização de cirurgias, que chegou a provocar um fechamento temporário, o Hospital Materno Infantil de Juazeiro, no Norte da Bahia, também enfrenta a falta de profissionais, como denunciou ao PNB o leitor Lázaro Santos.

Em contato com o Portal Preto no Branco, ele relatou que nesse domingo (29), sua irmã deu entrada na unidade já em trabalho de parto, mas precisou ser transferida para outra unidade hospitalar por falta de um médico anestesista no HMI.

“Até quando vamos sofrer com os descasos na maternidade de Juazeiro? A bolsa da minha irmã estourou e queriam mandar ela para Senhor do Bonfim ou para Serra Talhada. Depois felizmente conseguiram uma vaga e ela foi transferida para o Hospital Dom Malan em Petrolina, onde teve o bebê. Tudo isso aconteceu porque não havia um médico anestesista na maternidade de Juazeiro. Informaram que, se caso precisasse ser feito um parto cesariana, não poderia pois não tinha um profissional na unidade. Um absurdo isso. Cadê os vereadores de Juazeiro? Cadê o Ministério Público e outras autoridades que não tomam uma atitude?”, questionou Lázaro Santos.

De acordo com a gestante, que preferiu não ser identificada, no Hospital Dom Malan os profissionais perceberam que ela ainda tinha uma pequena quantidade de líquido amniótico e a transferiram novamente para o Hospital Materno Infantil.

“Eu retornei aqui para a maternidade na manhã da segunda-feira (30) e desde então aguardo pelo parto. O que disseram no domingo foi que não tinha anestesista e nem iria chegar. Estão tentando induzir para eu ter meu parto normal, fazendo uso de medicação para a dilatação e para não dá infecção no meu bebê”, acrescentou a gestante.

O PNB encaminhou a reclamação para a Secretaria de Saúde de Juazeiro.

Falta de material e fechamento temporário

No último dia 17, recebemos a informação de pacientes dando conta do fechamento temporário do Hospital Materno Infantil, em Juazeiro, por falta de material para realização de cirurgias.

“A informação que passaram para nós é de que, por falta de material, o hospital foi fechado. As pacientes estão já sendo encaminhadas pela Central de Regulação para outros hospitais, inclusive para outras cidades, como Senhor do Bonfim. Não tem mais material para atender a nenhuma gestante. Essa gestão veio para terminar de acabar com a saúde pública”, disse um familiar de paciente ao PNB.

Em contato com a diretora do hospital, Graça Carvalho, fomos informados de que não se trata de um fechamento, mas a gestora confirmou que o serviço estava suspenso por falta de vagas.

“O hospital não foi fechado, mas estamos sem vagas, e informamos a Central de Regulação para procurarem encaminhar pacientes de outras cidades, para outras Instituições. Além da limitação de equipamentos, como sala cirúrgicas, estamos com escassez de Campo Cirúrgico, que são os panos utilizados para cirurgias, porque nossos fornecedores estão com dificuldades de matéria prima para fabricação, o tecido Brim, que é o apropriado. procuramos no comércio local, mas não encontramos, pois está em falta no mercado”, informou a gestora.

A Secretaria Municipal de Saúde confirmou a falta de insumos cirúrgicos e disse que a diretoria médica estaria tentando resolver o problema, já que o prazo que o fornecedor pediu [para entrega dos insumos] ainda estava correndo, “é de 20 dias”, disse a Ascom.

O órgão também confirmou que a lotação de leitos da unidade estava completa e que por isso não poderia receber novas pacientes naquele momento.

De acordo com informações obtidas pelo PNB, com fontes que pediram para não ser identificadas, na manhã do dia 18, o Hospital Materno Infantil de Juazeiro conseguiu insumos emprestados no hospital Dom Malan de Petrolina, e a Sesau informou que a unidade de saúde continuava aberta, porém funcionando com a lotação completa.

No dia 24, outra gestante procurou o PNB para também reclamar da falta de material para realização da cesariana na unidade.

“Aqui na maternidade de Juazeiro está um caos. Estou internada há dois dias para fazer uma cesariana e eles não fazem por falta de material. Inclusive tem uma menor que na próxima segunda-feira faz 42 semanas de gestação e também não conseguiu o parto. Procurei vocês porque sei que o blog é sério, e infelizmente as coisas só funcionam através de denúncia. Talvez se o blog, mais uma vez, publicasse algo a respeito, a prefeita tome uma atitude”, apelou a gestante na época.

Relatório do Conselho Municipal de Saúde

Em visita realizada ao Hospital Materno Infantil de Juazeiro, o Conselho Municipal de saúde encontrou diversas deficiências estruturais. A informação foi enviada ao Portal Preto no Branco pelo presidente do CMS, Irmão Robson.

Entre as deficiências encontradas estão o número insuficiente de lençóis, LAP e leitos, além do grave problema com o lixo hospitalar, que segundo o conselho, passa mais de 15 dias sem ser recolhido.

“O relatório foi encaminhado ao Ministério Público Estadual, no dia 27 de julho, para que o município fosse acionado e respondesse sobre as deficiências encontradas. O relatório, que também apontava deficiências em algumas UBS, foi encaminhado antes para a Secretária de Saúde, solicitando que o órgão se posicionasse sobre o levantamento feito pelo Conselho, mas não houve resposta por parte da SMS, e posteriormente encaminhamos o referido relatório e outras demandas ao MP”, declarou o presidente do CMS. (confira nota na íntegra)

 

 

Da Redação

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.