“O caso está parado”: após 6 meses do assassinato do jovem Pedro Henrique, mãe cobra celeridade da Polícia Civil para conclusão do inquérito

"O caso está parado": após 6 meses do assassinato do jovem Pedro Henrique, mãe cobra celeridade da Polícia Civil para conclusão do inquérito

Há seis meses, a moradora de Juazeiro, no Norte da Bahia, Rafaela Castro, aguarda justiça para o assassinato do filho, o jovem Pedro Henrique Souza Cruz, de 21 anos. Ele foi atingido por disparos de arma de fogo no dia 14 de março, na residência da namorada, no bairro Coréia.

De acordo com as investigações, o autor do crime foi um adolescente, cunhado da vítima. Para Rafaela, Pedro foi vítima de uma “armação” de um homem identificado como Manoel Luiz dos Santos Neto, filho do vereador Amadeus (PP).

De acordo com informações obtidas pelo PNB, o Inquérito Policial que investiga o assassinato de Pedro Henrique, ainda não foi concluído. Rafaela alega que o caso está parado e cobra a celeridade das investigações.

“Desde março que aguardo por justiça, mas o caso tá parado. O delegado que assumiu a Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) nunca mais movimentou o caso. Me arrisquei tanto para ajudar nas investigações e me arrisco até hoje. Já dei tantas provas e nada. Quinta eu estive na Delegacia e o delegado não olhou nem direito pra mim. Me disse apenas que ia ter que começar as investigações do zero e deu as mesmas justificativas, dizendo que vai mandar a investigadora pegar o Inquérito Policial, mas até agora nada”, reclamou Rafaela ao PNB.

Nesta terça-feira (14), Rafaela esteve com o Promotor Raimundo Moinhos, para falar sobre o caso. O Ministério Público aguarda a conclusão do Inquérito Policial para adotar as providências cabíveis.

“O promotor do MP me ouviu com bastante atenção e respeito. Pedi ajuda a ele, e tive a oportunidade de relatar toda a situação. Ele me garantiu que as medidas serão tomadas conforme a lei. Sou muito grata ao Dr Moinhos por me ouvir, isso acendeu em mim a esperança que este caso não ficará impune. Agradeço também ao Portal Preto no Branco que vem acompanhando tudo comigo e me dando voz e vez”, acrescentou Rafaela.

O MP já denunciou Manuel pela morte de Clésio Alves, de 23 anos, assassinado no dia 16 de janeiro, no bairro Tabuleiro, e aguarda marcação da audiência pela Justiça.

Em julho, Rafaela procurou o PNB para pedir justiça para o caso.

“O meu filho era um jovem de 21 anos, funcionário público. Um jovem com sonhos a serem realizados e que foram interrompidos por um meliante que já tem várias denúncias, com provas concretas. Portanto, quero solicitar agilidade no caso do meu filho, pois o celular dele foi enviado para perícia em Salvador e até hoje não retornou. Eu sei que no celular dele encontraremos também provas referente a isto. Outra coisa, todos os depoimentos dos membros da residência onde meu filho foi assassinado se contradizem e relatam inverdades. Eu estou acompanhando toda a investigação e sei que a equipe do DHPP é muito eficiente, mas aos meus olhos, precisam agilizar o inquérito e dar uma resposta para o caso. Sou uma jovem mãe que teve que parar no tempo por uma crueldade sem tamanho. Estou em busca da resposta, pois sou uma cidadã, que pago impostos, e luta para viver de forma correta. Peço e imploro, humildemente por ajuda, pois acredito na justiça e não quero deixar de acreditar”, declarou na época.

O Preto no Branco está tentando desde julho contato com o Delegado Thyago, que assumiu as investigações, após a morte da delegada Adelina Castro, que vinha apurando os crimes. Até o momento não obtivemos respostas.

Estamos buscando contato com a defesa de Manoel Neto.

Da Redação

1 comentário


  1. Não só o do jovem Pedro Henrique como vários outros estão sem a devida resposta, a medida que o tempo passa muitos outros casos vão se acumulando devido aos altos casos de assassinatos na cidade, com isso todos eles vão ficando impunes e com isso sabendo que não vão ser alcançados os assassinatos só aumentam.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.