“Como iniciam um serviço, sem estudo do solo?”, questionam moradores do Alto do Alencar sobre pavimentação em rua do bairro; o serviço foi paralisado e Sedur justifica

"Como iniciam um serviço, sem estudo do solo?", questionam moradores do Alto do Alencar sobre pavimentação em rua do bairro; o serviço foi paralisado e Sedur justifica

“Um serviço que era o sonho da comunidade, nos últimos dias tem se tornado um pesadelo”, este é o relato de uma moradora do bairro Alto do Alencar, em Juazeiro, que critica o serviço de pavimentação iniciado pela Prefeitura de Juazeiro.

De acordo com ela e com outros moradores da rua Cinco, que entraram em contato com o Portal Preto no Branco, há uma semana trabalhadores estiveram no local quebrando calçadas e encanamentos, e até o momento não retornaram para dá continuidade ao serviço. Os moradores informaram que não foi feito um estudo de solo antes, e após iniciado o serviço, foi constatado que a via não suportava o asfalto.

“Um serviço que era o sonho da comunidade, nos últimos dias tem se tornado um pesadelo. A equipe responsável pela obra esteve aqui na semana passada, já com as máquinas, dizendo que iam asfaltar a rua. Eles saíram quebrando as calçadas, arrancando árvore, quebrando cano de água, quebrando cano de esgoto, e simplesmente no mesmo dia, disseram que tinha que fazer um estudo do solo para saber se a rua suporta o asfalto e retiraram as máquinas. Por que não fizeram esse estudo antes de sair quebrando tudo. Como iniciam um serviço de pavimentação, sem estudo do solo? A bagaceira na rua está aqui.  Quem tem seu carro na garagem, por exemplo, não está conseguindo tirar. Nossa preocupação é que as máquinas já estão é no bairro Itaberaba, ou seja, não vão voltar tão cedo”, reclamou uma moradora.

Outro morador alertou que, com as chuvas, os transtornos serão ainda maiores.

“Tem morador que teve a calçada toda quebrada, praticamente. Até os canos de saneamento quebraram, deixando os moradores sem poder nem usar o banheiro. Hoje já começou a chover e com certeza os transtornos serão ainda maiores. Ficaremos ilhados. Sabemos que toda obra precisa de um tempo para ser finalizada. Mas temos o direito de saber quando a equipe irá voltar para dá continuidade ao serviço e amenizar essa situação”, acrescentou.

Os moradores registraram a situação em um vídeo, enviado para a nossa redação. Veja

O PNB já encaminhou a reclamação para a Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano de Juazeiro. Em resposta, o órgão informou que “devido a um problema técnico de baixa resistência do solo no bairro Alto do Alencar, a equipe de engenharia da Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano (Sedur) e da empresa responsável pelos serviços estão realizando estudos para a resolução da situação. O Alto do Alencar está sendo beneficiado com a pavimentação de cinco ruas e as medidas vão garantir a execução do serviço com a qualidade que deve ser feita e a comunidade merece para evitar problemas futuros no pavimento”.

Outra reclamação 

Nessa terça-feira (12), Luzinete Duarte, moradora do bairro Novo Encontro, em Juazeiro, no Norte da Bahia, reclamou da interrupção do serviço de pavimentação que estava sendo realizado pela gestão municipal, na Avenida Brasil.

De acordo com ela, após o início da obra, a empresa contratada para realizar o serviço, interrompeu os trabalhos antes de concluir.

“Aqui no bairro Novo Encontro, depois de longos anos esperando a pavimentação das ruas, finalmente o serviço começou neste ano. Porém, a empresa que está prestando o serviço, retirou as máquinas da avenida há mais ou menos um mês e foi para outras ruas do bairro. Ficou faltando colocarem o meio-fio e passar a última camada do produto do asfalto na avenida, e até hoje não terminaram nem uma coisa, e nem outra”, reclamou.

Luzinete acrescentou ainda que por conta da demora na finalização do serviço, o trabalho que já havia sido realizado, está sendo desfeito pelo tráfego de veículos na avenida.

“Por ser uma avenida bem movimentada, toda a brita está sendo arrancada pelos carros e motos que passam no local. Além disso, como o meio-fio não foi fixado, mas sim apenas colocados no local, também está sendo desfeito. Tudo terá que ser refeito, o que vai atrasar ainda mais a conclusão da obra. Por isso, gostaria de pedir a prefeitura que entre em contato com essa empresa e que finalmente o serviço seja concluído o mais rápido possível”, acrescentou.

Ela finalizou destacando que os moradores estão ansiosos pela conclusão da obra, pois além da mesma está sendo destruída, também há riscos de acidentes no local.

“Agora colocaram apenas dois funcionários para fazer esse serviço de meio-fio. Só que esses trabalhadores também estão atuando nas outras ruas e não estão dando conta do serviço. Eles estão há semanas lá no começo da rua e a gente não aguenta mais esperar, porque já tem muito tempo que começou. Sem falar que, ou eles terminam ou vai acontecer um acidente grave aqui, porque os carros estão passando em alta velocidade e a brita que está solta. Então, se eles precisarem frear, no carro não vai parar por conta das brotas. É uma avenida muito movimentada e os carros e motos estão passando em alta velocidade”, concluiu.

O PNB encaminhou a reclamação para a Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano de Juazeiro. Em resposta, o órgão informou que “a primeira etapa dos serviços de pavimentação realizados, através de investimento de emenda parlamentar do deputado federal Adolfo Viana, no valor de mais de R$ 7 milhões, nos bairros Cajueiro, Novo Encontro, Monte Serrat e Alto Alencar estão em andamento. Os bairros Alto do Cruzeiro e Itaberaba também serão beneficiados posteriormente. As obras seguem cronograma de atividades estabelecido pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) com apoio da Secretaria de Obras e Desenvolvimento Urbano de Juazeiro (Sedur)”.

Redação PNB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.