“Não consegui cumprir meu compromisso de trabalho”, protesta médica sobre o caos no trânsito de Juazeiro alterado para a festa de aniversário; o planejamento não foi aprovado por motoristas

"Não consegui cumprir meu compromisso de trabalho", protesta médica sobre o caos no trânsito de Juazeiro alterado para a festa de aniversário; o planejamento não foi aprovado por motoristas

O planejamento do trânsito para este final de semana, quando Juazeiro comemora 144 anos, e a gestão municipal está promovendo um evento na orla da cidade, não foi aprovado pela população, e virou alvo de muita indignação. A interdição dos espaços atrapalhou os motoristas que tiveram que enfrentar um longo engarrafamento, por horas.

Foi o caso de uma médica e professora do curso de medicina da Univasf- Universidade do Vale do São Francisco, que entrou em contato com o Portal Preto No Branco para reclamar do transtorno gerado no trânsito. Ela mora em Juazeiro e trabalha na cidade vizinha.

“Quero protestar sobre a infeliz ideia da Prefeitura de Juazeiro de fechar uma das subidas da ponte para Petrolina hoje pela manhã. Demorei mais de 40 minutos no percurso entre o G Barbosa de trás da banca até passar pelo pontilhão. E, pelo grande volume de carros para continuar a subida da ponte e a partir daí prosseguir a caminho até Petrolina, provavelmente ainda demoraria no mínimo mais uma hora. Resultado, não consegui cumprir meu compromisso de trabalho na Univasf, onde daria aula às 9 horas. Da mesma forma que eu, várias pessoas devem ter faltado seus compromissos de trabalho, em Petrolina, por esta famigerada escolha da prefeitura”, protestou a médica.

Ela também criticou a falta de agentes nas ruas para disciplinar o trânsito, e contestou a informação da CSTT de que “uma equipe de agentes de trânsito já está nos locais direcionando os condutores e fazendo todo o possível para que haja o menor transtorno possível, dadas as circunstâncias especiais.”

“Esta informação não condiz com a realidade, nem deste e nem de outros engarrafamentos em Juazeiro. Não havia uma autoridade de trânsito sequer disciplinando o engarrafamento. Diferentemente das “amarelinhas” que aparecem por segundo para multar. Então, percebe-se que a única preocupação da prefeitura é com a economia que isto pode gerar. Lamento muito, uma vez que vinda de Salvador, escolhi esta acolhedora cidade para viver. Um desrespeito com o cidadão por parte da prefeitura que poderia ter escolhido outro local para o seu evento.

Mais cedo, publicamos uma matéria com reclamações de motoristas sobre o engarrafamentos em vários pontos da cidade. Irritados, eles criticaram o planejamento do órgão de trânsito e a interdição da via, ao lado do Banco do Brasil, que impediu o acesso a rampa que leva a Petrolina.

De acordo com eles, umas tendas foram montadas para uma ação da Secretaria de Educação, na orla II, e a interdição do local teve reflexos em outros pontos da cidade.

“A ação é válida, mas no lugar errado. A pessoa que teve a “brilhante” ideia de fazer evento ao lado da rampa de acesso à Petrolina merece ser prefeito. O engarrafamento está indo longe. Na Raul Alves ninguém passa. Parou a cidade toda. Tenho 19 anos em Juazeiro e não lembro de uma embolação dessa”, declarou um comerciante em contato com o PNB.

Um motorista de aplicativo, que também entrou em contato com a nossa redação, reforçou a crítica a estratégia montada para a realização do evento.

“É ótimo que tenha comemoração ao aniversário da cidade, mas tem que ter organização, para que a população não fique prejudicada. Tem que ter um estudo de trânsito antes, para não afetar o fluxo dos veículos. Me parece que montaram o evento, sem esta preocupação. Está quase impossível trabalhar hoje. O trânsito está parado. Uma quilométrica fila de veículos se formou entre o Mercado do Produtor e a ponte Presidente Dutra e a tendência é só crescer. Ninguém está conseguindo chegar em Petrolina. Tive que recusar várias corridas para lá, pois iria demorar horas no engarrafamento. Até no centro de Juazeiro está difícil de chegar. E amanhã vai ser pior, já que não é feriado”, criticou.

O PNB encaminhou as reclamações para a CSTT de Juazeiro, que enviou a seguinte nota:

A Companhia de Segurança, Trânsito e Transporte (CSTT) esclarece à população que esta é uma situação atípica e que, somado a toda a questão da movimentação maior na cidade, também houve problemas com veículos quebrados que acabaram impedindo o fluxo do trânsito e estendendo o congestionamento.

Também alerta que é preciso respeitar as barreiras, seguir as vias alternativas e, sobretudo, respeitar os outros condutores. Desta forma, vai ser possível um trânsito mais tranquilo e uma experiência positiva neste final de semana de aniversário da cidade.

A equipe de agentes de trânsito já está nos locais direcionando os condutores e fazendo todo o possível para que haja o menor transtorno possível, dadas as circunstâncias especiais.

De acordo com a Companhia de Segurança Trânsito e Transporte de Juazeiro, nesta sexta-feira (15), a Orla ficará fechada desde a junção da rua João Freitas com a Adolfo Viana e permanecerá assim todo o final de semana. Desta forma, os ônibus terão acesso pela rua Oscar Ribeiro. A avenida Santos Dumont também será fechada no seu acesso para Petrolina, ao lado do Banco do Brasil.

Redação PNB

2 Comentários


  1. Mais um absurdo em Jauzeiro: a comemoração do aniversário da cidade serve para mostrar o descaso e desrespeito com os juazeirenses. Infelizmente é este o cartão postal de Juazeiro, desorganização e incompetência.
    É legítima a comemoração, mas esta não pode ocorrer no local e da forma que foi feita. Antes de mais a cidade é feita para quem habita nela e a preocupação tem que ser a qualidade de vida dos seus habitantes.
    A informação da CSTT além de ser totalmente genérica, não corresponde à realidade, não há ninguém para auxiliar, semáforos intermitentes no amarelo e falta de indicações.
    É triste ver que quem deveria cuidar da cidade não aproveita o potencial que esta tem e que invariavalmente consegue desiludir quem nela habita.

    Responder

  2. Essas barracas não eram pra está aí, o responsável pelos eventos conseguiu o esperado. Visibilidade a festa. Esse promotor de eventos deveria ser prefeito.

    Responder

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.