Após grave denúncia de suposta fraude em Processo Seletivo, APLB Sindicato, em Juazeiro, pede ao MP afastamento imediato da secretária de educação

Após grave denúncia de suposta fraude em Processo Seletivo, APLB Sindicato, em Juazeiro, pede ao MP afastamento imediato da secretária de educação

 

Após denúncia do vereador Alex Tanuri contra gestão da Secretária de Educação de Juazeiro, Normeide Carvalho, que teria manipulado o Processo Seletivo do programa Projovem Urbano para favorecer a sua irmã Dilvaney Almeida Lima, a APLB Sindicato informou, em nota, que vai acionar o MP pedindo afastamento imediato da secretária por fraude no certame público.

De acordo com áudios enviados ao vereador, Normeide Carvalho, teria manejado o processo seletivo do programa Projovem Urbano para favorecer a irmã.

Nota da APLB 

Estarrecida diante da grave denúncia que veio a público esta semana, encaminhada à imprensa local pelo vereador Alex Tanury com divulgação de áudios de uma suposta reunião que mostra manipulação no Processo Seletivo Simplificado realizado pela SEDUC, a direção da APLB Sindicato em Juazeiro decidiu acionar o Ministério Público pedindo o afastamento imediato da secretária Normeide Almeida e apuração urgente da denúncia.

De acordo com a denúncia do vereador, a secretária teria usado do poder do cargo que ocupa para “orientar a comissão a aceitar títulos e elevar a pontuação da irmã, fazendo com que ela pulasse para o primeiro lugar, empatada com uma pessoa, mas assumindo a primeira colocação por causa da idade”. O cargo que Dilvaney Almeida Lima estava almejando ser aprovada é para professor educador de participação cidadã, do programa Projovem. A Câmara de Vereadores deve abrir uma CPI para apurar os fatos, investigar a denúncia e indiciar possíveis culpados.

O diretor da APLB Sindicato de Juazeiro, Gilmar Nery, tomou conhecimento da denúncia pelo vereador Alex Tanury e garante que a entidade vai tomar as medidas cabíveis. “A APLB entende como ato gravíssimo e inadequado mostrando a própria secretária de educação manipulando um processo seletivo. Pedimos afastamento imediato dessa secretária. Já sabíamos que poderia acontecer algo dessa natureza pelo comportamento da secretária durante as negociações do reajuste dos trabalhadores em educação, com arrogância, prepotência e falta de diálogo. Agora chegamos ao ponto desse absurdo do governo Suzana Ramos, com corrupção institucionalizada. Vamos pedir todas as providências judiciais necessárias para essa secretária que não honra o cargo que ocupa”, afirma o diretor da APLB Sindicato em Juazeiro, Gilmar Nery.

Gilmar Nery ressalta que vai acionar o Ministério Público para que a denúncia exposta pelo vereador seja investigada e as medidas tomadas diante da gravidade do que foi revelado reforçando os desmandos – denunciados diversas vezes pela APLB – do governo municipal que a todo momento trabalha para tirar os direitos dos trabalhadores em educação. “Normeide Almeida não pode permanecer em um cargo tão importante quanto este que cuida da vida os trabalhadores em educação de um modo geral do município de Juazeiro. Estamos indignados e vamos tomar as providências necessárias para que esse absurdo seja denunciado”, finaliza (Ascom APLB).

O Caso

De acordo com a denúncia de Alex Tanuri, Dilvaney Almeida Lima ficou em uma colocação ruim porque seus títulos, somados, a levaram a ter apenas 4,5 pontos.

No resultado da fase preliminar, divulgado dia 27/06, ela estava na 12ª colocação.

O edital previa que o prazo para recursos expiraria um dia após, 28/06. Entretanto, no dia 1º de julho, a Seduc publicou uma mudança no prazo. De acordo com o vereador, só este fato já causaria estranheza. Ele relata, porém, que algo mais grave aconteceu.

“Recebi áudios de uma reunião na qual a Secretária, Normeide Carvalho, orienta a comissão a aceitar títulos e elevar a pontuação da irmã, fazendo com que ela pulasse para o primeiro lugar, empatada com outra pessoa, mas assumindo a primeira colocação por causa da idade. Nos áudios, a comissão discute entre si e integrantes da comissão diziam que não teriam coragem de assinar a reconsideração porque seria escandaloso. Falam que os documentos apresentados não podiam sequer ser considerados certificados e não resultariam em pontos”, disse Alex.

O vereador continua: “Em certo momento da conversa, Normeide aparece e começa a orientar a mudança. Segundo ela mesmo diz na gravação, a irmã já estaria trabalhando no Social, mas teria um problema com a secretária Amélia. Por isso, ela orienta a irmã a fazer um recurso e a comissão a acatar o pedido”.

Providências

Tanuri diz que o fato será levado ao Ministério Público e uma proposta de abertura de CPI levada à mesa diretora da Câmara de Vereadores de Juazeiro: “Estamos diante de uma fraude no processo seletivo, articulada pela própria Secretária de Educação para beneficiar uma irmã! Está tudo gravado e tanto os áudios quanto os documentos serão entregues ao Ministério Público. Estes áudios não deixam dúvida da manipulação. A Câmara de Vereadores deve imediatamente abrir uma CPI para investigar essa fraude e indiciar os culpados”, finalizou.

Redação PNB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.