Caso Deliane: gestão municipal recebe manifestantes com aparato de segurança, em frente ao Hospital Materno Infantil de Juazeiro

Caso Deliane: gestão municipal recebe manifestantes com aparato de segurança, em frente ao Hospital Materno Infantil de Juazeiro

Familiares e amigos de Deliane Feitosa e Silva, vítima de um suposto erro médico, após procedimento de curetagem no Hospital Materno Infantil de Juazeiro, estão realizando, neste momento, uma manifestação em frente à unidade. Eles querem que a gestão municipal preste assistência à mulher, mãe de 5 filhos, e também o afastamento da médica Jamilla Menezes Torres, acusada de perfurar o útero e o intestino grosso da paciente.

Apesar do protesto está acontecendo de forma pacífica, duas equipes da Guarda Civil Municipal e uma guarnição da Polícia Militar foram enviadas ao local. Os manifestantes estão com cartazes pedindo justiça e também com a foto da médica acusada.

“Nós estamos passando por um novo tempo, mas de miséria. Nunca se viu uma desgraça dessa em Juazeiro”, declarou uma familiar que  se manifestava no ato.

(fotos PNB)

De acordo com a sogra de Deliane, no início do protesto, representantes da Secretaria de Saúde informaram que não tinham conhecimento do caso e convidaram a família para uma reunião, que deve acontecer após o protesto, como exigiram os familiares.

“Nós viemos aqui para protestar e nós vamos protestar. Só vou me reunir com eles depois da manifestação. Como que a Secretaria de Saúde diz que não tinha conhecimento do que aconteceu, se o caso de Deliane vem sendo bastante divulgado nas redes sociais e também nos meios de comunicação de Juazeiro? Até hoje, nós nunca havíamos recebido se quer uma ligação da gestão municipal”, declarou ao PNB.

Também em contato com o PNB, o vereador de Juazeiro Luciano do Vale informou que está acompanhando a manifestação e foi impedido de entrar no Hospital Materno Infantil e que também não foi recebido pelo Secretário de Saúde de Juazeiro, Fernando Costa.

O quadro de saúde de Deliane se agravou nesse domingo (24). Por conta do erro médico, ela foi transferida para o Hospital Regional de Juazeiro, onde já passou por seis procedimentos cirúrgicos e acabou perdendo alguns órgãos.

“Eu gostaria muito de dar notícias boas hoje de Deliane, mas ontem eu fui visitá-la e o médico falou que ela teve uma piora muito grande. Ela esta intubada de novo, pois está com infecção muito grave no pulmão. Além disso, o local onde foram feitas as cirurgias, também está infeccionado. O estado dela é muito delicado. Mas vamos orar, pedir para que Deus restaure a saúde dela, porque ela precisa vir para casa, ela precisa voltar para o lado dos filhos, do marido, da mãe, do pai, dos irmãos, de todos nós familiares”, declarou a sogra de Deliane.

O PNB teve acesso ao prontuário da paciente, assinado pela ginecologista obstetra, Jamilla Menezes Torres. Segundo os familiares de Deliane, a médica continua atuando no HMI.

Entenda o caso:  

Após o suposto erro médico, Deliane sofreu um derrame pleural e desde o dia 13 de junho está internada em estado grave no Hospital Regional de Juazeiro, para onde foi encaminhada após o ocorrido. De acordo com informações de familiares da paciente, Deliane já passou por seis procedimentos cirúrgicos no HRJ.

Ela chegou a ficar internada em um leito de UTI e teve ovários e as trompas removidos, devido ao alto grau de infecção. Um dos rins da paciente também chegou a parar de funcionar. Atualmente, ela está com intestino grosso exposto, segundo informou um familiar.

Diante da gravidade da situação, a família de Deliane pede a responsabilização da médica acusada pelo erro.

“Já acionamos o Ministério Público e também já identificamos a médica que ocasionou essas lesões em Deliane. Ela só não morreu porque Deus tem um plano na vida dela. A barriga dela está aberta, porque os pontos não estão segurando. Ela está com a tela para segurar o órgão e tomando antibióticos fortes. Não está sendo fácil. Então, essa médica precisa ser responsabilizada. A Secretaria de Saúde precisa investigar o caso e afastar essa profissional. Ela não assumiu o erro e tentou abafar o caso. Ela saiu pela tangente, mas nós precisamos que esta médica e a gestão municipal respondam por esse erro”, declarou um familiar.

O casal tem 5 filhos, sendo um bebê de 1 ano e 4 meses, 3 crianças de 5, 9 e 11 anos e um adolescente de 14.

“Esta família está passando por dificuldades. A mãe internada, o pai desempregado e eles sofrendo com toda esta situação Estão precisando de alimentos básicos, como também fraldas tamanho G para criança, produtos de limpeza, de higiene pessoal, além disso estão com várias contas pendentes, de água, luz e faltando botijão de gás”, contou.

Qualquer ajuda pode ser enviada para o endereço: Rua Ramiro Ribeiro 330, Centro de Juazeiro -BA (Tereza Rodrigues)

No último dia 21, o PNB encaminhou o caso para a Secretaria de Saúde. O órgão informou apenas que “A Maternidade está verificando a denúncia para tomar as medidas necessárias”.

Também na ocasião, o HRJ esclareceu que “a paciente deu entrada no HRJ em estado grave e passou por quatro procedimentos cirúrgicos. Após as cirurgias, foi avaliada a necessidade de nutrição parenteral, assistência que está sendo oferecida pelo complexo hospitalar. Devido a gravidade do ferimento, será necessário aguardar o tempo de recuperação para a realização de novos procedimentos. Ademais, não há previsão de alta, assim como não há indicação de transferência para outra Unidade”.

Redação PNB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.