“Ela mal olhou”: usuária da UBS do São Geraldo, Juazeiro, reclama do atendimento odontológico prestado pela profissional da unidade

"Ela mal olhou": usuária da UBS do São Geraldo, Juazeiro, reclama do atendimento odontológico prestado pela profissional da unidade

Uma moradora do bairro São Geraldo, em Juazeiro, em contato com a redação do PNB, na tarde desta quarta-feira (27) fez uma reclamação a respeito do atendimento odontológico da Unidade Básica de Saúde localizada na comunidade.

De acordo com a moradora, que não quis ser identificada, sentido dor em um dente, procurou a dentista da UBS, nesta tarde e foi mal atendida pela profissional.

“Hoje (27), eu eu fui até a unidade para ela ver um dente que está com uma cárie grande, doendo bastante e incomodando muito quando eu mastigo e ela mal olhou. Disse que que iria colocar uma massa e era para eu voltar somente no dia 12, porque não era caso de urgência. Cheguei 14h30, só tinha um paciente e ela disse que estava com a agenda lotada, sendo que eu saí de lá quase 16h30 e ela no computador, sem atender ninguém. Ela mandou a assistente dá recado de que não poderia atender, eu que fui ousada e bati na porta para ela olhar a situação do meu dente. Ainda veio com piada, dizendo que não era procedimento de urgência. Se não tivesse incomodando, eu não iria procurar assistência odontológica. O pior é que 15h de hoje, dia 27 de julho, não tinha ninguém para ela atender. Ainda disse que vai entrar de férias, e aí eu quero já saber se vamos ficar sem dentista”, reclamou a usuária.

Ela relatou ainda que outros usuários também se queixam do tratamento prestado pela odontóloga a quem busca o serviço.

“As pessoas estão se queixando da dentista, porque quando ela não está de férias, não quer atender. Ela não cumpre horário, chega atrasada, faz o que quer e deixa muito a desejar no atendimento. A comunidade já não aguenta mais. Quase não preciso da UBS, e quando tenho uma necessidade não sou atendida? Se a gente procura a unidade de saúde é porque está precisando, pois ninguém vai se não tiver uma necessidade. Fica aqui minha revolta, se não quer trabalhar que passe o espaço a quem quer”, protestou a moradora.

A usuária do serviço também disse que ligou para a ouvidoria da Sesau, para prestar a reclamação, mas não foi atendida.

“Vou denunciar na ouvidoria. Liguei, assim que deixei a unidade, mas não atenderam. Fica aqui minha indignação. Ela está voltando até pacientes com dores. Um absurdo! Sei de meus direitos. Pagamos nossos impostos para, quando precisarmos, termos atendimento”, finalizou.

Nós estamos encaminhando a reclamação para a Secretaria de Saúde.

Redação PNB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.