Petrolina: mais duas alunas da escola Julia Elisa Coelho, no Alto do Cocar, acusam gestor de assédio sexual; ele foi afastado do cargo

Petrolina: mais duas alunas da escola Julia Elisa Coelho, no Alto do Cocar, acusam gestor de assédio sexual; ele foi afastado do cargo

Após denúncia de assédio sexual contra uma aluna da Escola Municipal Julia Elisa Coelho, no bairro Alto do Cocar, em Petrolina, registrada na Delegacia da Mulher, na última segunda-feira (1º), mais dois casos estão estão investigados.

De acordo com o Conselho Tutelar, mais duas adolescentes acusam o gestor da instituição de ensino de assédio sexual contra estudantes. Após a primeira denúncia, ele foi afastado do cargo pela Secretaria Municipal de Educação.

A conselheira tutelar, Rozinete do Bonfim Coelho, orienta os pais e responsáveis por alunos da escola que procurem a Delegacia da Polícia Civil, caso tenham denúncias semelhantes.

“Mais duas famílias nos procuraram, relatando situações, com relação a fatos, as situações que indiciam como assédio. Recomendamos, orientamos que procurassem a Delegacia da Polícia Civil, para registrar o Boletim de Ocorrência e também fizemos os encaminhamentos para o Creas [Centro de Referência Especializado de Assistência Social]”, afirmou Rozinete.

Procurado pela produção da TV Grande Rio, o ex-gestor da escola disse que só iria se pronunciar após a conclusão do inquérito.

A Polícia Civil informou que as denúncias estão sendo investigadas pela 3ª Delegacia da Mulher – DEAM, e que “mais detalhes só poderão ser repassados após a conclusão do inquérito policial sob a condição de autorização judicial”.

Em nota, a Secretaria de Educação informou que “assim que teve conhecimento da denúncia, de forma imediata, adotou os procedimentos cabíveis, realizando uma reunião com o Conselho Tutelar e Gestores da Escola Municipal Júlia Elisa Coelho e seguirá tomando as medidas que se fizerem necessárias”.

A Secretaria também repudiou “qualquer tipo de abuso ou crime contra crianças e adolescentes, e destacou um projeto em parceria com o Ministério Público de Pernambuco, nas unidades escolares, de combate ao abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes.

“Essa ação fez com que a Secretaria Municipal de Educação fosse considerada, pela Promotoria de Justiça, como uma das Secretarias mais atuantes do Estado na realização desse trabalho”.

Redação PNB, com informações G1

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.