“A UPA de Juazeiro está jogada a destruição, a desumanidade”: usuários denunciam superlotação e atendimento precário na UPA de Juazeiro

0

 

Quem procurou a UPA de Juazeiro na tarde desta sexta-feira (25) se deparou com a demora no atendimento e, indignados alguns usuários procuraram o Portal Preto No Branco para reclamar da precariedade no atendimento e de superlotação. Lembrando que, recentemente a gestão municipal demitiu diversos profissionais de saúde da unidade, como já noticiado pelo PNB.

Um leitor do PNB disse que esperou mais de 3 horas para ser atendido na urgência e relatou ainda que a unidade estava superlotada. Ele se queixou do número insuficiente de profissionais.

“A UPA de Juazeiro está jogada a destruição, a desumanidade e falta de empatia e talvez até de preparo profissional. Hoje andei presente nessa barafunda, penando por um atendimento que chega a ser ilário, porque vai de encontro a constituição e aos princípios do Sistema Único de Saúde. Pessoas com diversas patologias, aparentemente com o seu estado de saúde ruim, e sequer os profissionais dão a mínima importância para a saúde do ser humano. E ainda assim depois de 3 horas de sumiço da médica, ela apareceu! E eu como cidadão fui questionar o porque da demora, ela me alegou que estava numa intercorrência. Muito me estranha porque aqui não tem centro cirúrgico para a discrepância de 3 horas para atender um paciente. Logo depois ela pediu que fosse cobrado a Sesau, virou as costas, bateu a porta, e eu a chamei de ignorante por tal atitude”, contou.

O usuário se queixou ainda de falta de limpeza no banheiro da unidade e cobrou providências à gestão municipal.

“O banheiro está imundo. Parece que não tem pessoal para limpar. Prefeitura de Juazeiro, venho reivindicar saúde. Não é você penar na porta de uma unidade de saúde. Não estamos aqui pedindo e sim é um direito nosso enquanto cidadãos desse país. Sem contar que alguns abandonam sua jornada de trabalho, na esperança de um atendimento, e precisamos levar o atestado de comparecimento que é um direito. E por meio desta venho pedir que tomem as providências. Saúde é dever do município e um direto do cidadão”, finalizou o usuário, que preferiu não ser idenfificado.

Outra usuária que procurou a unidade hoje a tarde e se deparou com a mesma dificuldade foi Lela Viana dos Santos. Com sintomas da Covid-19, ela diz que sequer conseguiu fazer o teste.

“Não consegui ser atendida. Alegaram não fazer o teste de COVID e nem me dar o atestado. Em tempo de eu está transmitindo para outras pessoas, caso esteja com a doença. Vim duas vezes e não fui atendida. Estou com uma gripe muito forte, dor de cabeça, moleza no corpo, com muita coriza e os olhos ardendo”, relatou.

Nós encaminhamos as reclamações para a Secretaria Municipal de Saúde.

Outra reclamação publicada nesta sexta (25) pelo PNB

A moradora do bairro Tabuleiro, Maria Emanuela Santos Guimarães, 22 anos, em contato com nossa redação, reclamou do atendimento da UPA, em Juazeiro. Ela procurou atendimento na unidade na tarde desta sexta-feira (25).

“Aqui não parece um hospital. Cheguei com 39.7 de febre, muita dor de cabeça, muita dor nos rins. Cheguei aqui umas 15 e pouca, já são mais de 19 horas e não fui atendida. Nem uma medicação para baixar a febre me deram. Passei pela triagem porque fui até lá e mostrei que estava com febre. A médica que estava atendeu umas 3 pessoas e saiu. Se acontecer qualquer coisa comigo quero ver quem vai de responsabilizar, inclusive estou tendo tremores e com muita dor de cabeça. Não aguento mais de dor isso é um descaso com a área da saúde. Um absurdo! Estou a ponto de convulsionar. A febre já passou de 41, e até agora nada. Pelo amor de Deus, façam alguma coisa!”, suplicou a jovem.

Ela criticou também a falta de pessoal na unidade e a proibição de acompanhante para os pacientes.

“Até o maqueiro não está aqui. E outra não pode ficar um acompanhante. As pessoas ficam em tempo de desmaiar. Que hospital é esse ? Só Deus pra nós guardar. O pessoal aqui é atendendo e mexendo no celular. Isso não é amor à saúde, não é amor às vidas”, desabafou Maria Emanuela.

Nós encaminhamos o relato da paciente para a Secretaria de Saúde e o órgão, através de sua assessoria de comunicação, disse que “assim como toda a rede de saúde, seja ela pública ou particular, vem registrando nos últimos dias, um aumento na procura por atendimento. Porém, nem todos que chegam na UPA são casos de urgência- como deve ser o atendimento da unidade. Nesta sexta-feira (25) intercorrências na sala vermelha precisaram de uma atenção maior da equipe. Em relação à paciente com estado febril, ela foi triada e atendida pelo profissional médico.

A outra paciente, apesar de estar com sintomas gripais, não era caso de urgência. A UPA realiza testes para detecção da Covid-19 em pacientes da urgência, visto que o local não é ponto de testagem para Covid-19, a não ser dos pacientes de urgência. A orientação de sintomas gripais leves é buscar a Unidade Básica de Saúde (UBS) mais próxima para o atendimento médico e testagem, caso necessário (dentro dos dias para a testagem). Além disso, é preciso que ela fique em isolamento. A Sesau se coloca à disposição para quaisquer esclarecimentos.

Redação PNB 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Comentar
Seu nome