Univasf promoverá I Congresso de Ciência dos Materiais (CCMat) em agosto

Univasf promoverá I Congresso de Ciência dos Materiais (CCMat) em agosto

foto-n3309

Reunir pesquisadores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e de outras instituições locais com pesquisadores de todo o país da área de pesquisa em materiais é o objetivo do I Congresso de Ciência dos Materiais (CCMat) e da V Escola de Nanotecnologia da Rede Agronano. O evento será realizado entre os dias 10 e 12 de agosto, no Complexo Multieventos, Campus Juazeiro (BA), em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). As inscrições e a submissão de resumos já podem ser realizadas.

O I CCMat é uma iniciativa do Instituto de Ciência dos Materiais (IPCM), vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Ciência dos Materiais da Univasf, e busca reunir estudantes de graduação, pós-graduação e profissionais das áreas de Engenharia, Física, Química e Biologia, além de pesquisadores interessados na temática. As inscrições podem ser feitas através do site do evento, com valores crescentes de acordo com a data.

Os estudantes de graduação, pós-graduação e profissionais podem efetuar a inscrição por R$45,00, R$65,00 e R$100,00 respectivamente, com direito a participação em um minicurso. O pagamento é realizado através de transferência ou depósito bancário na conta da Sociedade Brasileira de Dosimetria do Estado Sólido, disponível no site. Os interessados em submeter resumos podem fazê-lo através do site do evento até o dia 20 de junho.

De acordo com o coordenador do I CCMat, Helinando Pequeno de Oliveira, a ideia de realizar um congresso com esta temática era antiga. “Nosso público são estudantes de mestrado das engenharias do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano e da Bahia, e de outras universidades do Nordeste. A ideia é divulgar mais a temática entre eles e ter mais pessoas interessadas em trabalhar com a gente”, destaca. O evento, que está na primeira edição, terá periodicidade anual.

Oliveira observa que esta é uma oportunidade de aumentar as parcerias e destaca ainda que a nanotecnologia representa uma das soluções para os problemas do sertanejo. “A temática da nanotecnologia na convivência com a seca é muito importante, porque diversas soluções vêm das ciências dos materiais. É uma forma de aproximar a nanotecnologia dos problemas do homem e da mulher sertanejos”, explica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.