Pró-Semiárido vai investir na agricultura familiar no Território do Sertão do São Francisco

Pró-Semiárido vai investir na agricultura familiar no Território do Sertão do São Francisco

img-0810

O projeto Pró-Semiárido, da Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), por meio da Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), que foi apresentado nesta quarta-feira (15), na unidade do Serviço Territorial de Apoio a Agricultura Familiar (Setaf), em Juazeiro, terá um volume de recursos na ordem de 228 milhões de reais direcionados para o fortalecimento de grupos produtivos do Semiárido baiano, do modo especial, relacionados a produção familiar.

Os recursos para o projeto são frutos de contrato assinado entre o governo do Estado e o Fundo Internacional de Desenvolvimento Agrícola (Fida) e tem como objetivo atender 70 mil famílias da zona rural com a construção de agroindústrias, sistemas de abastecimento de água, formação técnica e atuação em redes de cooperação socioprodutiva, a partir das demandas apresentadas pelas comunidades. O projeto inicia com um levantamento sobre o potencial produtivo de cada localidade, em seguida, uma equipe interdisciplinar vai levar orientações e implementações de atividades que incentivem as cadeias produtivas da fruticultura da Caatinga, do mel, da ovinocaprinocultura dentre outras.

Comunidades tradicionais como: pescadores/as, extrativistas, quilombolas e fundo de pastos, são contempladas no projeto de forma prioritária. De acordo com o diretor presidente da CAR, Wilson Dias, essas populações foram historicamente desassistidas de políticas públicas de inclusão produtiva, mas que agora, junto com entidades executoras do projeto, terão uma oportunidade excelente de incrementar os arranjos produtivos de base familiar que existem nessas comunidades.

No Território de Identidade do Sertão do São Francisco serão contemplados os municípios de Casa Nova, Curaçá, Juazeiro, Remanso, Sento Sé, Sobradinho, Campo Alegre de Lourdes, Pilão Arcado e Uauá. Nessa região, entidades que já desenvolvem projetos de Convivência com o Semiárido a exemplo do Irpaa de Juazeiro, do Sasop de Remanso, da Coopercuc de Uauá e do Sajuc de Sobradinho, serão também executoras desse importante projeto que tem a duração prevista para seis anos.

Texto e Foto: Comunicação Irpaa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.