“Há tempos não faltava água assim em Juazeiro”: aumentam as reclamações de moradores sobre a suspensão constate do fornecimento de água; SAAE justifica

"Há tempos não faltava água assim em Juazeiro": aumentam as reclamações de moradores sobre a suspensão constate do fornecimento de água; SAAE justifica

Aumentam as reclamações de moradores de vários bairros de Juazeiro, no Norte da Bahia, em relação as constantes suspensões do fornecimento de água pelo Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE).

Nesta quinta-feira (14) moradores dos bairros Aliança, Itaberaba, Residencial I, II e III, Sol Nascente, Antônio Guilhermino, Praia do Rodeadouro, Brisa da Serra, João Paulo II e Vila Nova Fé foram surpreendidos com a falta de água. O problema durou cerca de cinco horas.

De acordo com o Serviço de Água e Saneamento Ambiental (SAAE), a situação foi provocada após a queima de um transformador do quadro da bomba 4 do Sistema Tratamento de Água de Piranga.

Ainda de acordo com o SAAE, o sistema foi recuperado às 23h.

Nesta sexta-feira (15), moradores do bairro Centenário relataram que ficaram sem água no período da manhã e que a suspensão não foi avisada previamente.

“Está faltando água aqui no bairro direto e sem nenhum aviso. Hoje mesmo o fornecimento de água foi suspenso por volta das 9h, e só foi restabelecido perto do meio dia. Sempre somos pegos de surpresa e desprevenidos. A situação causa vários transtornos. Ficamos sem água para limpar a casa, preparar uma comida e principalmente tomar banho, nesse calor horrível. O SAAE precisa explicar o que está acontecendo. Há tempos não faltava água assim em Juazeiro”, reclamou uma moradora.

“Nós moradores dos bairros Novo Encontro e Lomanto Júnior estamos sofrendo muito com a falta de água, principalmente nos finais de semana. É um problema que há muitos anos a gente não enfrentava, mas depois da renovação do poder, de gestão, a situação está acontecendo frequentemente. Estamos precisando reservar água em baldes. É um sofrimento”, relatou outro morador.

Na quarta-feira (14), moradores também reclamaram da falta de água nos Parques Residencial e Jatobá, no bairro João Paulo II. De acordo com eles, a situação vem acontecendo há quase um mês.

“Há mais de 20 dias estamos sofrendo com esse problema. Não sobe água para os chuveiros e estamos tomando banho na ‘cuia’. Está difícil a situação. Não tem água para lavar roupa, não tem água para cozinhar, para fazer nada. Por isso gostaríamos de solicitar providências do SAAE”, pediu o morador Vanilson Feitosa. (Relembre).

Apesar do SAAE informar que enviou uma equipe aos locais para verificar a situação, as reclamações continuaram nesta sexta.

“Sou luziêr, moradora aqui do parque Jatobá, venho aqui através dessa fazer minha cobrança ao SAAE, pois tem muitos dias que não temos água nas nossas casas, e infelizmente também não temos nem uma explicação ou solução para esse problema”, reclamou a moradora.

O PNB encaminhou novamente as reclamações para o SAAE. Em resposta, o órgão informou que o problema dos Parques Residencial e Jatobá está sendo provocado por ligações clandestinas.

“A equipe do SAAE está hoje (14) no trecho dos Parques Residencial e Jatobá. Nós detectamos que lá tem muitas ligações clandestinas e isso está impedindo que a água suba para as caixas d’água. Em cerca de três dias todas essas ligações clandestinas serão retiradas e o problema será resolvido”, declarou o engenheiro Oliveira.

Sobre as diversas reclamações de falta de água nos outros bairros de Juazeiro, o SAAE alegou que o sistema de água é antigo e que novos equipamentos estão sendo adquiridos.

“Esta semana, por exemplo, a autarquia municipal substituiu um filtro da Estação de Tratamento de Água (ETA) principal que estava desgastado pelo tempo de uso. Substituição concluída, o abastecimento está sendo retomado gradativamente. O SAAE está adquirindo novos equipamentos para substituir os aparelhos antigos, caso seja necessário”, declarou o órgão.

De acordo com a diretora-presidente da autarquia, Josilene Alixandre, diversos equipamentos já foram substituídos e o órgão adquiriu duas bombas reservas para a Estação de Tratamento principal, no bairro Santo Antônio, e outra para o segundo recalque, que está localizado no Jardim Flórida.

“Isto significa que teremos um controle maior, durante essas manutenções emergenciais, sem a necessidade de parar o sistema de abastecimento. Sabemos que o sistema do SAAE é antigo e isso dificulta nosso trabalho. Manobras e projetos já estão sendo levantados para minimizar qualquer problema que possa acontecer. Além disso, a gente lembra que os famosos “gatos” de água e a falta de consciência de muitas pessoas que fazem desvios geram prejuízos para toda a comunidade”, enfatizou Josilene Alexandre.

 

Da Redação

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.