Após pedido do Ministério Público e da família do tesoureiro do PT, inquérito que apura assassinato em Foz do Iguaçu retorna à Polícia Civil

Após pedido do Ministério Público e da família do tesoureiro do PT, inquérito que apura assassinato em Foz do Iguaçu retorna à Polícia Civil

Apesar de ter sido concluído na semana passada, o juiz Gustavo Germano Francisco Arguello, da 3ª Vara Criminal de Foz do Iguaçu, determinou que o do inquérito que apura a morte do tesoureiro do PT Marcelo Arruda pelo policial penal federal Jorge Guaranho retornasse à Polícia Civil.

Guaranho já havia sido indiciado por homicídio qualificado por motivo torpe, mas o Ministério Público e os familiares de Arruda solicitaram novas diligências. À Justiça, o promotor responsável pelo caso, Tiago Lisboa, cita a necessidade de buscar imagens de câmeras de segurança que possam ter registrado trajeto feito pelo policial penal no dia do assassinato. O promotor ainda pede que, caso haja imagens, o conteúdo deve ser enviado ao Instituto de Criminalística para perícia, além da realização de depoimentos complementares.

Marcelo Arruda, de 50 anos, foi morto a tiros no último dia 09, na própria festa de aniversário, que tinha como tema o Partido dos Trabalhadores (PT) e o ex-presidente Lula.

BNews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.